sicnot

Perfil

Economia

Fed mantém taxas de juro inalteradas

A Reserva Federal (Fed) norte-americana decidiu hoje deixar as taxas de juro inalteradas, optando pela prudência face ao impacto "dos recentes desenvolvimentos da economia mundial e financeira".

© Dado Ruvic / Reuters

No final de uma reunião em Washington, que foi muito esperada pelos mercados financeiros, o Comité de Política Monetária (FOMC, na sigla em inglês) manteve as taxas entre os 0 e os 0,25%, tal como estão desde dezembro de 2008, uma decisão que contou com a oposição de um dos elementos deste comité, que defendeu uma subida de um quarto de ponto percentual.

No comunicado da Fed após a reunião, os membros do FOMC tomaram nota das últimas turbulências nos mercados financeiros, da queda dos preços da energia e das matérias-primas, bem como do abrandamento da economia chinesa, elementos que podem influenciar os preços em queda.

O objetivo do banco central norte-americano é que a inflação nos Estados Unidos fique em torno dos 2% no médio prazo, um nível que considera ser saudável para a economia. A taxa de inflação está nos 0,3%.

"Os recentes desenvolvimentos económicos e financeiros podem restringir um pouco a atividade económica e podem exercer uma pressão em baixa na inflação a curto prazo", lê-se no comunicado.

A Fed considera que a economia norte-americana prossegue a um ritmo "moderado" e o FOMC assinala um modesto crescimento da despesa das famílias e dos investimentos das empresas, afirmando ainda que o mercado de trabalho "continua a melhorar, com sólidas criações de emprego e um declínio do desemprego".

Em agosto, a taxa de desemprego nos Estados Unidos ficou nos 5,1%, o valor mais baixo dos últimos sete anos.

A inflação está bastante abaixo do objetivo fixado, o que reflete "parcialmente" as baixas dos preços da energia e "os preços das importações".

De acordo com as suas projeções económicas, a Fed está mais otimista quanto ao crescimento económico e quanto ao desemprego do país para este ano, mas mais prudente para 2016, antecipando um crescimento de 2,1% em 2015 (acima dos 1,9% previstos em junho).

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28