sicnot

Perfil

Economia

Greve na Soflusa afeta ligações entre Barreiro e Lisboa nas horas de ponta

As ligações de barco entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, vão estar condicionadas a partir de hoje e até quarta-feira devido a uma greve parcial dos trabalhadores da Softlusa. - A Soflusa está a assegurar hoje, desde as 07:10, a ligação entre o Barreiro e Lisboa com um navio, até às 9:30.

(SIC/Arquivo)

(SIC/Arquivo)

Fonte oficial da empresa adiantou à agência Lusa que "foi possível reunir condições" para efetuar esta carreira extraordinária em dia de greve e assim "facilitar a vida aos passageiros" que esperam o retomar das ligações a partir da hora em que termina a greve parcial (09:30).

A mesma fonte explicou que esta carreira está a funcionar "para além dos serviços mínimos" que a Soflusa está a cumprir.

Esta paralisação de três horas por turno afeta, em particular, as horas de ponta no período da manhã e da tarde, e repete-se até quarta-feira.

De acordo com a empresa, estavam previstas duas carreiras no sentido Barreiro/Lisboa pelas 05:15 e 06:15, devido aos serviços mínimos decretados pelo tribunal arbitral, com as ligações a estarem paradas até às 09:30.

No período da tarde, os barcos param pelas 17:35 e apenas serão retomadas pelas 21:45.

No sentido Lisboa/Barreiro também se vão realizar duas carreiras decretadas pelos serviços mínimos, às 05:45 e 06:40. As ligações serão depois retomadas pelas 10:55. No período da tarde, os barcos vão parar entre as 18:00 e as 22:15.

Os trabalhadores da empresa, que já cumpriram na semana passada dois dias de greve parcial, exigem uma revisão da massa salarial.

A Soflusa, integrada na Transportes de Lisboa, juntamente com o Metro, Carris e Transtejo, tem cerca de 170 trabalhadores.

Com Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.