sicnot

Perfil

Economia

Greve na Soflusa afeta ligações entre Barreiro e Lisboa nas horas de ponta

As ligações de barco entre o Barreiro e o Terreiro do Paço, em Lisboa, vão estar condicionadas a partir de hoje e até quarta-feira devido a uma greve parcial dos trabalhadores da Softlusa. - A Soflusa está a assegurar hoje, desde as 07:10, a ligação entre o Barreiro e Lisboa com um navio, até às 9:30.

(SIC/Arquivo)

(SIC/Arquivo)

Fonte oficial da empresa adiantou à agência Lusa que "foi possível reunir condições" para efetuar esta carreira extraordinária em dia de greve e assim "facilitar a vida aos passageiros" que esperam o retomar das ligações a partir da hora em que termina a greve parcial (09:30).

A mesma fonte explicou que esta carreira está a funcionar "para além dos serviços mínimos" que a Soflusa está a cumprir.

Esta paralisação de três horas por turno afeta, em particular, as horas de ponta no período da manhã e da tarde, e repete-se até quarta-feira.

De acordo com a empresa, estavam previstas duas carreiras no sentido Barreiro/Lisboa pelas 05:15 e 06:15, devido aos serviços mínimos decretados pelo tribunal arbitral, com as ligações a estarem paradas até às 09:30.

No período da tarde, os barcos param pelas 17:35 e apenas serão retomadas pelas 21:45.

No sentido Lisboa/Barreiro também se vão realizar duas carreiras decretadas pelos serviços mínimos, às 05:45 e 06:40. As ligações serão depois retomadas pelas 10:55. No período da tarde, os barcos vão parar entre as 18:00 e as 22:15.

Os trabalhadores da empresa, que já cumpriram na semana passada dois dias de greve parcial, exigem uma revisão da massa salarial.

A Soflusa, integrada na Transportes de Lisboa, juntamente com o Metro, Carris e Transtejo, tem cerca de 170 trabalhadores.

Com Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00

    Reportagem Especial

    Todos os anos, o Estado gasta centenas de milhões de euros para financiar os meios de combate aos incêndios. A reportagem especial da SIC denuncia falta de rigor e clareza em muitos dos negócios.

  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.