sicnot

Perfil

Economia

Lagarde diz que riscos negativos para economia global aumentaram nos últimos meses

Os riscos para a economia global cresceram nos últimos meses, sobretudo devido ao abrandamento económico da China e também ao início previsto do ajustamento da política monetária norte-americana e britânica, afirmou hoje a diretora-geral do FMI.

© Handout . / Reuters

"Os riscos em baixa são maiores do que antes", afirmou Christine Lagarde numa conferência sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas, quando comentava o estado da economia mundial e o abrandamento recente da economia chinesa como um fator importante.

Além da China, que teve um mês de agosto difícil com episódios de grande volatilidade financeira e cujas autoridades surpreenderam com uma desvalorização do yuan, a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI) sublinhou que "é provável" que a iminente subida das taxas de juro nos Estados Unidos e no Reino Unido também gere "turbulências".

Christine Lagarde destacou ainda que outra preocupação do Fundo é a crescente desigualdade de rendimentos: "Se queremos contar com um crescimento sustentável, uma desigualdade menor é muito melhor", disse.

O FMI vai realizar a próxima assembleia anual em Lima, no Perú, de 06 a 11 de outubro, altura em que vai apresentar as suas novas previsões de crescimento económico global.

Em julho, altura em que atualizou as últimas previsões, o Fundo tinha previsto que a economia mundial crescesse 3,3% este ano e 3,8% em 2016.

Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.