sicnot

Perfil

Economia

Farmacêutica recua no aumento de 5.000% de medicamento para doentes com VIH/Sida

De um momento para outro, o medicamento Daraprim, passou de 12 euros para, espante-se, 671 euros. O CEO da Turing Pharmaceuticals, que se desdobrou em entrevistas depois da divulgação do aumento, já veio dizer que está disposto a recuar na decisão. Só não disse quanto irá custar o medicamento crucial para doentes com VIH/Sida e grávidas.

Martin Shkreli, CEO da Turing Pharmaceuticals.

Martin Shkreli, CEO da Turing Pharmaceuticals.

Martin Shkreli, o CEO da Turing Pharmaceuticals, é o responsável por este aumento "ultrajante" nas palavras de Hilary Clinton.

Nos últimos dias tem-se desdobrado em entrevistas para explicar o aumento de quase 5.000% do medicamento usado para tratar a toxoplasmose.

Decidiu, agora, recuar mas sem adiantar pormenores. Garantiu apenas que o Damatrin vai ficar "mais acessível".

A polémica estalou no início da semana após uma notícia publicada pelo New York Times que revelava que o Daratrim, ía saltar dos 12 euros para os 671 euros.

O Daraprim custa menos de um euro a ser produzido e está à venda há mais de 60 anos. É usado para tratar a toxoplasmose, uma doença que afeta doentes com VIH-SIDA, doentes oncológicos e grávidas.

Em agosto, os direitos do Daraprim foram comprados pela Turing Pharmaceuticals, de Martin Shkreli. O negócio custou-lhe 55 milhões de euros.

Martin Shkreli garante que o preço não reflete "as despesas que a Turing Pharmaceuticals tem com marketing ou distribuição" e os lucros do aumento "serão utilizados na investigação de novos tratamentos" para o VIH/Sida.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.