sicnot

Perfil

Economia

Poupança das famílias cai para 5% do rendimento disponível em junho - INE

A taxa de poupança das famílias diminuiu para os 5% no ano terminado em junho, abaixo dos 5,8% em que este indicador tinha ficado nos 12 meses concluídos no trimestre anterior, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

© Dado Ruvic / Reuters


De acordo com as Contas Nacionais Trimestrais por Setor Institucional, hoje divulgadas pelo INE, a taxa de poupança das famílias equivalia a 5% do rendimento disponível no final do segundo trimestre de 2015, um valor que compara com uma taxa de poupança de 5,8% no final do trimestre anterior.

A capacidade de financiamento das famílias diminuiu para os 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano acabado no segundo trimestre de 2015, ficando abaixo dos 2,7% verificados no trimestre anterior.

Para este resultado "contribuiu sobretudo a redução da poupança corrente", que decorre do facto de a despesa de consumo final (+1%) ter crescido mais do que o rendimento disponível (+0,1%).

Segundo o INE, "o crescimento reduzido do rendimento disponível" das famílias deve-se ao "efeito conjugado da diminuição dos rendimentos de propriedade recebidos e do aumento das contribuições sociais pagas, que compensaram o crescimento das remunerações recebidas".

No setor das sociedades não financeiras, a capacidade de financiamento fixou-se nos 0,5% do PIB no ano terminado no final de junho, menos 0,6 pontos percentuais do que no trimestre anterior.

Este desempenho "refletiu sobretudo a diminuição das transferências de capital recebidas e o aumento das remunerações pagas", de acordo com o INE.

Já o setor das sociedades financeiras apresentou, no ano terminado no segundo trimestre, uma capacidade de financiamento de 5,1% do PIB, ligeiramente abaixo dos 5,2% registados nos 12 meses concluídos no trimestre anterior.

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC