sicnot

Perfil

Economia

Soflusa com três carreiras extraordinárias entre Barreiro e Lisboa em dia de greve

A Soflusa está a reforçar hoje, desde as 07:10, a ligação entre o Barreiro e Lisboa, com três navios até às 09:30, hora em que termina a greve parcial dos trabalhadores da empresa.

Fonte oficial da empresa adiantou à agência Lusa que a empresa reforçou o período de greve com três carreiras às 07:10, 07:55 e 08:45, para além dos serviços mínimos que a Soflusa está a cumprir.

A mesma fonte disse que a empresa espera retomar as ligações às 09:30, hora em que termina a greve parcial.

A paralisação de três horas por turno, que começou na segunda-feira e que termina hoje, afeta, em particular, as horas de ponta no período da manhã e da tarde.

De acordo com a empresa, estavam previstas duas carreiras no sentido Barreiro/Lisboa pelas 05:15 e 06:15, devido aos serviços mínimos decretados pelo tribunal arbitral, com as ligações a estarem paradas até às 09:30.

No período da tarde, os barcos param pelas 17:35 e apenas serão retomadas pelas 21:45.

No sentido Lisboa/Barreiro também se vão realizar duas carreiras decretadas pelos serviços mínimos, às 05:45 e 06:40. As ligações serão depois retomadas pelas 10:55. No período da tarde, os barcos vão parar entre as 18:00 e as 22:15.

Os trabalhadores da empresa, que já cumpriram na semana passada dois dias de greve parcial, exigem uma revisão da massa salarial.

A Soflusa, integrada na Transportes de Lisboa, juntamente com o Metro, Carris e Transtejo, tem cerca de 170 trabalhadores.

  • José Eduardo dos Santos há 38 anos no poder
    2:42

    Mundo

    José Eduardo dos Santos foi o segundo Presidente com mais tempo de liderança a nível mundial, quase 38 anos. Este ano, anunciou que não voltaria a concorrer às eleições, mas mantêm-se, por enquanto, como presidente do MPLA. No dia em que os angolanos foram às urnas para escolher o seu sucessor, apresentamos a vida de José Eduardo dos Santos.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.