sicnot

Perfil

Economia

Devolução sobretaxa não depende de cumprimento de metas do défice

A ministra das Finanças reiterou hoje a intenção de devolver no próximo ano parte da sobretaxa paga em sede de IRS em 2015, assegurando que esse compromisso não depende do cumprimento de quaisquer metas do défice.

© Rafael Marchante / Reuters

"Esse é um compromisso que está na lei e que não depende do cumprimento de quaisquer metas de défice, depende apenas da comparação entre o objetivo de cobrança de IRS e IVA que está inscrito no OE para 2015 e o valor que venha efetivamente a ser cobrado. Não depende de absolutamente mais nada", afirmou a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, quando questionada se uma eventual derrapagem do défice para lá dos 3% colocará em causa o compromisso do Governo.

Assegurando que a devolução será feita em "quaisquer circunstâncias", Maria Luís Albuquerque reiterou ainda a confiança do Governo na "evolução positiva da receita e da despesa", sustentando que o Governo não está apenas a contar com o aumento da receita para o cumprimento das metas do défice, mas também da redução da despesa.

"O contributo para a melhoria do défice virá das duas partes como é fundamental que seja", disse a ministra das Finanças, que falava na conferência de imprensa realizada do final do Conselho de Ministros.

Quanto à questão da devolução da sobretaxa, referiu, "não tem qualquer relação com a questão do défice" e "é um compromisso assumido que vai ser cumprido".

"Não há razões para haver qualquer preocupação nessa matéria, quando for feito o encontro de contas com os contribuintes do IRS na campanha do próximo ano, o valor que tiver sido cobrado a mais nestes dois impostos será devolvido aos contribuintes", disse.

A ministra das Finanças recordou ainda que o valor a devolver será o que resultar do apuramento a 31 de dezembro.

No final de agosto, a ministra das Finanças disse ter a expectativa que a devolução da sobretaxa em 2016 possa ser superior a 25%.

"O valor só será apurado com certeza com a execução do mês de dezembro, só será conhecido em rigor no mês de janeiro de 2016, se o ano acabasse agora esse crédito fiscal de sobretaxa seria de 25%. Mas a minha expetativa neste momento é que possa até ser um resultado melhor do que esse. Mas, só no final do ano é que teremos esse valor determinado com certeza", referiu na altura Maria Luís Albuquerque.

Na quarta-feira, o Instituto Nacional de Estatística divulgou que o défice orçamental atingiu 4,7% do PIB no final do primeiro semestre de 2015, um valor superior à meta de 2,7% estabelecida pelo Governo para a totalidade do ano.

Lusa

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.