sicnot

Perfil

Economia

Brasil em "declínio dramático" no índice de competitividade

O Brasil desceu 18 lugares no índice mundial de competitividade de 2015-2016, divulgado hoje pelo Fórum Económico Mundial e que classifica a queda do país como "um declínio dramático".

Jorge Saenz

Atualmente na 75.ª posição entre 140 países (no ano passado ocupava a 57.ª), o Brasil está em 103.º lugar no que se refere a equipamentos básicos, em 55.º no que respeita a potenciadores de eficiência e em 64.º no que concerne aos fatores de inovação e sofisticação, revela o documento.

No documento lê-se que o Brasil, tal como dois outros países latino-americanos, a Bolívia e El Salvador, "sofrem com a deterioração das instituições e o fraco desempenho macroeconómico".

Ainda de acordo com o relatório, o país tem como fatores "mais problemáticos" para o desenvolvimento de negócios a elevada carga fiscal, a legislação laboral restritiva e a corrupção, com os analistas a destacarem o peso dos "escândalos" nesta última vertente.

Com "baixas perspetivas de crescimento", o Brasil beneficia, contudo, da dimensão do seu mercado, sendo ainda destacadas a literacia tecnológica e a melhoria significativa na qualidade das infraestruturas e transportes aéreos (subiu 18 lugares, para 95.º).

Os analistas do Fórum Económico Mundial assinalam, por outro lado, a necessidade de "importantes reformas" para providenciar melhor qualidade na educação.

O índice mundial de competitividade - que avalia 12 pilares (da educação aos mercados financeiros) - é liderado pela Suíça, seguida de Singapura e dos Estados Unidos.

Lusa

  • Marcelo na peregrinação de Nossa Senhora de Fátima no Luxemburgo

    Mundo

    O Presidente da República participou esta quinta-feira, a título privado, na peregrinação em honra de Nossa Senhora de Fátima, na cidade luxemburguesa de Wiltz. Milhares de portugueses receberam Marcelo Rebelo de Sousa, que assistiu à missa e, durante alguns minutos, participou na procissão.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.