sicnot

Perfil

Economia

Portugal cai duas posições no "ranking" de competitividade

Portugal caiu duas posições no "ranking" mundial de competitividade 2015-2016, ficando em 38º lugar, segundo a lista hoje divulgada pelo Fórum Económico Mundial, estando entre as dez economias desenvolvidas que ficaram em pior lugar.

Armando Franca

De acordo com o Relatório de Competitividade Mundial 2015-2016, publicado hoje pelo Fórum Económico Mundial, Portugal surge na posição número 38 nesta edição, uma classificação que coloca a economia portuguesa entre as dez economias desenvolvidas menos competitivas, juntamente com a Grécia (81), a Eslováquia (67), Chipre (65), Eslovénia (59), Malta (48), a Letónia (44), Itália (43), a Lituânia (36) e Espanha (33).

Este índice continua a ser liderado pela Suíça, por Singapura e pelos Estados Unidos. A Alemanha surge na quarta posição (subindo um lugar) e a Holanda fica em quinto lugar (subindo três posições). O top 10 inclui ainda o Japão, Hong Kong, a Finlândia, a Suécia e o Reino Unido.

No final da tabela estão a Guiné, o Chade, a Mauritânia, a Serra Leoa, o Burundi, o Malaui, o Haiti, Moçambique, a Venezuela e Myanmar.

O documento refere que "a maioria das economias desenvolvidas recuperou os seus níveis de competitividade antes da crise" e, tal como nos anos anteriores, ocupam todas os lugares de topo nos "rankings".

"No entanto, permanecem algumas disparidades, com alguns países da Europa de Leste e do Sul a ocupar os lugares mais baixos" entre as economias desenvolvidas, sendo de destacar o caso da Grécia, que é "a economia menos competitiva deste grupo".

O acesso ao financiamento é "o principal obstáculo ao crescimento" nas economias desenvolvidas, com a exceção dos Estados Unidos, cujo nível de acesso ao financiamento já está próximo do verificado antes da crise.

Mas, o financiamento da zona euro "é muito mais difícil" do que era há oito anos, sendo "um dos fatores mais importantes a abrandar o crescimento do continente".

O Fórum Económico Mundial aponta, por um lado, que, quase uma década de instabilidade económica e uma recessão prolongada "erodiram a confiança nas instituições públicas desde 2007" na maioria das economias desenvolvidas, "sobretudo na Europa do Sul", mas destaca, por outro lado, que "a qualidade das infraestruturas melhorou na Europa do Sul", tendo Itália apresentado o maior crescimento neste ponto.

O relatório, que vai ser apresentado esta manhã em Lisboa, dá conta da "emergência de uma divisão na Europa" entre os países reformistas e os outros países.

"Em França, na Irlanda, em Itália, em Portugal e em Espanha, observamos melhorias significativas nas áreas da competitividade do mercado e da eficiência do mercado de trabalho, devido às reformas que estes países implementaram. Por oposição, Chipre e a Grécia falharam na melhoria destes pilares", lê-se no relatório.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.