sicnot

Perfil

Economia

Governo britânico vai vender restante capital que detém no Lloyds

O Governo britânico anunciou esta segunda-feira que vai vender o resto do capital que o Estado ainda detém no banco Lloyds, através de uma operação pública de venda de ações.

(Arquivo)

(Arquivo)

Matt Dunham / AP

O Lloyds teve de ser intervencionado e, por essa razão, o Estado britâncio ficou com mais de 40% do capital. Agora, já só restam 12% e é essa fatia que vai ser vendida nos próximos meses.

Tratam-se de ações no valor total de 2700 milhões de euros, naquele que é o maior processo de privatização no Reino Unido desde os anos 80.

O dinheiro será utilizado para reduzir a dívida pública.

  • Lloyd's confirma fecho de 150 balcões e despede nove mil funcionários

    Economia

    O Lloyds confirmou o fecho de 150 balcões durante os próximos três anos e vai despedir nove mil funcionários. Parte do plano de estratégia do banco britânico, liderado por António Horta Hosório, foi revelado na apresentação de resultados quando revelou que vai investir 1,3 mil milhões de euros em tecnologia digital. No terceiro trimestre do ano, os lucros do banco ascenderam os 952 milhões de euro enquanto as perdas caíram. Ainda assim, o Lloyds conseguiu 1,1 mil milhões de euros para indemnizar os clientes fazendo um custo total de cerca de 14 mil milhões de euros. O Lloyds já fechou 630 agências e atualmente opera com cerca de duas mil.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.