sicnot

Perfil

Economia

Governo britânico vai vender restante capital que detém no Lloyds

O Governo britânico anunciou esta segunda-feira que vai vender o resto do capital que o Estado ainda detém no banco Lloyds, através de uma operação pública de venda de ações.

(Arquivo)

(Arquivo)

Matt Dunham / AP

O Lloyds teve de ser intervencionado e, por essa razão, o Estado britâncio ficou com mais de 40% do capital. Agora, já só restam 12% e é essa fatia que vai ser vendida nos próximos meses.

Tratam-se de ações no valor total de 2700 milhões de euros, naquele que é o maior processo de privatização no Reino Unido desde os anos 80.

O dinheiro será utilizado para reduzir a dívida pública.

  • Lloyd's confirma fecho de 150 balcões e despede nove mil funcionários

    Economia

    O Lloyds confirmou o fecho de 150 balcões durante os próximos três anos e vai despedir nove mil funcionários. Parte do plano de estratégia do banco britânico, liderado por António Horta Hosório, foi revelado na apresentação de resultados quando revelou que vai investir 1,3 mil milhões de euros em tecnologia digital. No terceiro trimestre do ano, os lucros do banco ascenderam os 952 milhões de euro enquanto as perdas caíram. Ainda assim, o Lloyds conseguiu 1,1 mil milhões de euros para indemnizar os clientes fazendo um custo total de cerca de 14 mil milhões de euros. O Lloyds já fechou 630 agências e atualmente opera com cerca de duas mil.

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.