sicnot

Perfil

Economia

Governo britânico vai vender restante capital que detém no Lloyds

O Governo britânico anunciou esta segunda-feira que vai vender o resto do capital que o Estado ainda detém no banco Lloyds, através de uma operação pública de venda de ações.

(Arquivo)

(Arquivo)

Matt Dunham / AP

O Lloyds teve de ser intervencionado e, por essa razão, o Estado britâncio ficou com mais de 40% do capital. Agora, já só restam 12% e é essa fatia que vai ser vendida nos próximos meses.

Tratam-se de ações no valor total de 2700 milhões de euros, naquele que é o maior processo de privatização no Reino Unido desde os anos 80.

O dinheiro será utilizado para reduzir a dívida pública.

  • Lloyd's confirma fecho de 150 balcões e despede nove mil funcionários

    Economia

    O Lloyds confirmou o fecho de 150 balcões durante os próximos três anos e vai despedir nove mil funcionários. Parte do plano de estratégia do banco britânico, liderado por António Horta Hosório, foi revelado na apresentação de resultados quando revelou que vai investir 1,3 mil milhões de euros em tecnologia digital. No terceiro trimestre do ano, os lucros do banco ascenderam os 952 milhões de euro enquanto as perdas caíram. Ainda assim, o Lloyds conseguiu 1,1 mil milhões de euros para indemnizar os clientes fazendo um custo total de cerca de 14 mil milhões de euros. O Lloyds já fechou 630 agências e atualmente opera com cerca de duas mil.

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.