sicnot

Perfil

Economia

BCP e Atlântico fazem fusão dos bancos em Angola

O Banco Millennium Angola (BMA) e o Banco Privado Atlântico (BPA) vão avançar com uma fusão no mercado angolano, com o Banco Comercial Português (BCP) a ficar com uma participação de 20% no novo banco, anunciou hoje a instituição portuguesa.

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

O banco liderado por Nuno Amado realçou em comunicado que esta fusão reforça a sua capacidade de expansão em Angola, permitindo "obter condições para crescer em contexto adverso" e, simultaneamente, adaptar-se às implicações decorrentes da alteração da equivalência de supervisão decidida no final do ano passado pela Comissão Europeia relativamente aquele país africano.

O memorando de entendimento com o maior acionista do BPA, a Global Pactum - Gestão de Ativos, foi hoje assinado e, caso se concretize a fusão, vai criar a segunda maior instituição privada em crédito à economia angolana, com uma quota de mercado aproximada de 10% em volume de negócios.

"A junção das capacidades complementares do BMA e do Atlântico potencia oportunidades de crescimento e maximiza a capacidade de criação de valor em Angola, possibilitando a manutenção da contribuição da atividade em Angola em níveis consentâneos com a ambição do Millennium BCP e retornos sobre o capital investido na ordem dos 20%, compensando o abrandamento da economia angolana face aos planos iniciais", destacou o BCP.

Segundo o banco português, que detém 51% do Banco Millennium Angola (BMA) - os outros 49% estão nas mãos do BPA e da Sonangol -, "ficaram definidos mecanismos que asseguram um controlo e uma gestão eficazes dos riscos, de acordo com as melhores práticas, nomeadamente atribuindo aos administradores indicados pelo Millennium BCP os pelouros de 'risk office' e do crédito".

A nova entidade vai contar com um Conselho de Administração (CA) constituído por 15 membros, dos quais cinco vão ser nomeados pelo BCP, bem como uma Comissão Executiva (CE) de sete membros, incluindo dois indicados pelo banco português.

O BCP vai ainda ficar responsável pela indicação de um dos vice-presidentes do CA, que vai presidir à Comissão de Riscos ou à Comissão de Auditoria, bem como um dos vice-presidentes da CE, informou a entidade no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Lusa

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC