sicnot

Perfil

Economia

Bolsas europeias mistas atentas à assembleia anual do FMI e Banco Mundial

As principais bolsas europeias negociavam hoje mistas, à espera do início da assembleia anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial (BM) em Lima.

© Reuters Staff / Reuters


Cerca das 09:25 em Lisboa, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,11% para 3.230,10 pontos.

As bolsas de Paris, Frankfurt e Milão estavam em alta, a subirem 0,13%, 0,40% e 0,78%, respetivamente. Em sentido contrário, as bolsas de Londres e Madrid estavam a recuar 0,10% e 0,32%.

Depois de ter aberto em baixa, a Bolsa de Lisboa invertia a tendência e, cerca das 09:25, o principal índice, o PSI20, estava a valorizar-se 0,06% para 5.500,42 pontos.

Em Nova Iorque, os mercados de Wall Street terminaram em alta na quarta-feira, com o Dow Jones a subir 0,73% para 16.912,29 pontos, depois de ter subido a 19 de maio passado até aos 18.312,39 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1260 dólares, contra 1,1235 dólares na quarta-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na quarta-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,1266 dólares.

Além da assembleia anual do FMI e do BM, que hoje se inicia e que deverá incluir conferências de imprensa dos respetivos líderes, Christine Lagarde e Jim Yong Kim, os investidores aguardam vários indicadores macroeconómicos.

A agência de estatística comunitária Eurostat publica o índice de preços da habitação do segundo trimestre e o plenário do Parlamento Europeu (PE) debate a diretiva de Serviços de Pagamentos e uma resolução não vinculativa sobre legislação hipotecária e os instrumentos financeiros de risco na União Europeia.

O BCE publica hoje as atas da última reunião sobre política monetária depois da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) ter proposto a subida dos juros ainda este ano devido aos riscos para o crescimento.

E em Berlim, os principais institutos económicos da Alemanha apresentam o relatório de Outono, com a análise da conjuntura do país e novas previsões.

O barril de petróleo Brent, para entrega em novembro, abriu hoje em alta, a cotar-se a 51,41 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,156% do que no encerramento da sessão anterior.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.