sicnot

Perfil

Economia

Unicer fecha fábrica em Santarém com cerca de 150 trabalhadores

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Bebidas e Tabacos de Portugal (Sintab) revelou hoje que a Unicer vai fechar o centro de produção de refrigerantes, em Santarém, que emprega entre 150 e 170 trabalhadores.

(Reuters/Arquivo)

(Reuters/Arquivo)

O responsável do Sintab pela região de Lisboa, Rui Matias, adiantou à Lusa que os trabalhadores da fábrica de refrigerantes foram informados esta manhã da intenção da administração de fechar as portas da Rical - Empresa Produtora de Refrigerantes e Águas até maio de 2016.

"Estamos muito preocupados. A notícia é brutal para 150 famílias", afirmou o sindicalista, adiantando que a administração da Unicer terá apresentado a possibilidade de uma dezena de trabalhadores poderem ser integrados na unidade de Leça do Balio, Matosinhos.

Na reunião com os trabalhadores, os responsáveis da Unicer terão ainda referido a possibilidade de uma empresa localizada na imediações poder vir a empregar 20 a 25 trabalhadores que entretanto serão dispensados, referiu Rui Matias.

"Vamos acompanhar o processo para ver como se desenrola, quais as razões apresentadas pela administração e condições dadas aos trabalhadores", adiantou.

Em 2013, a Unicer encerrou a sua fábrica de cerveja em Santarém, deslocalizando a produção para Leça do Balio, como parte do projeto de consolidação industrial das cervejas da empresa para melhorar a eficiência e competitividade da empresa.

Contactada pela Lusa, fonte da Unicer adiantou que estava a decorrer uma reunião com trabalhadores, remetendo esclarecimentos para mais tarde.

Lusa

  • Época 2016/17 fecha com festa no Jamor
    1:58

    Desporto

    Quatro anos depois da primeira final, Benfica e Vitória de Guimarães regressam ao Jamor esta tarde para jogar a Final da Taça de Portugal. O jogo marca também a estreia do videoárbitro em Portugal.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14