sicnot

Perfil

Economia

ANA recusa voltar a pagar taxa turística à Câmara de Lisboa

A empresa ANA-Aeroportos de Portugal informou hoje que não vai pagar em 2016 a Taxa Turística criada pela Câmara Municipal de Lisboa, como fez este ano.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"Não. Para o próximo ano, a Câmara de Lisboa tem de arranjar outra solução, porque a ANA não se compromete a pagar", disse fonte da empresa à agência Lusa.

A mesma fonte frisou que isso já "tinha sido dito na altura" (da decisão de pagar este ano) e a ANA "mantém a mesma opinião".

A 30 de março, a ANA assumiu o pagamento da Taxa Turística criada em novembro de 2014 pela Câmara Municipal de Lisboa, num valor entre 3,6 a 4,4 milhões de euros.

O acordo assinado entre as partes implicava que a Taxa Turística não fosse cobrada individualmente a cada turista que chegue à capital através de avião, sendo antes paga pela ANA-Aeroportos de Portugal.

A criação da Taxa Turística em Lisboa previa a cobrança de um euro a quem chegasse ao aeroporto ou ao porto da capital e sobre as dormidas.

A autarquia lisboeta voltou a incluir a Taxa Turística no orçamento para 2016 e prevê uma receita total de 15,7 milhões de euros, mais do dobro do previsto para 2015.

Na quinta-feira, o vereador das Finanças da Câmara de Lisboa anunciou que, a partir do próximo ano, vai começar a ser cobrada uma taxa aos turistas que pernoitem na cidade, com o valor máximo de sete euros.

A Lusa contactou com a Associação de Hotelaria de Portugal, mas fonte da AHP disse que querem ler primeiro o orçamento da câmara e depois tomam uma posição.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.