sicnot

Perfil

Economia

ANA recusa voltar a pagar taxa turística à Câmara de Lisboa

A empresa ANA-Aeroportos de Portugal informou hoje que não vai pagar em 2016 a Taxa Turística criada pela Câmara Municipal de Lisboa, como fez este ano.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"Não. Para o próximo ano, a Câmara de Lisboa tem de arranjar outra solução, porque a ANA não se compromete a pagar", disse fonte da empresa à agência Lusa.

A mesma fonte frisou que isso já "tinha sido dito na altura" (da decisão de pagar este ano) e a ANA "mantém a mesma opinião".

A 30 de março, a ANA assumiu o pagamento da Taxa Turística criada em novembro de 2014 pela Câmara Municipal de Lisboa, num valor entre 3,6 a 4,4 milhões de euros.

O acordo assinado entre as partes implicava que a Taxa Turística não fosse cobrada individualmente a cada turista que chegue à capital através de avião, sendo antes paga pela ANA-Aeroportos de Portugal.

A criação da Taxa Turística em Lisboa previa a cobrança de um euro a quem chegasse ao aeroporto ou ao porto da capital e sobre as dormidas.

A autarquia lisboeta voltou a incluir a Taxa Turística no orçamento para 2016 e prevê uma receita total de 15,7 milhões de euros, mais do dobro do previsto para 2015.

Na quinta-feira, o vereador das Finanças da Câmara de Lisboa anunciou que, a partir do próximo ano, vai começar a ser cobrada uma taxa aos turistas que pernoitem na cidade, com o valor máximo de sete euros.

A Lusa contactou com a Associação de Hotelaria de Portugal, mas fonte da AHP disse que querem ler primeiro o orçamento da câmara e depois tomam uma posição.

Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43