sicnot

Perfil

Economia

Testes de stress do BCE ao Novo Banco conhecidos em novembro

O Banco Central Europeu (BCE) vai concluir os testes de stress ao Novo Banco em novembro, informou hoje a instituição de Mario Draghi.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Em comunicado, o BCE indica que "um dos bancos está a ser submetido apenas a um teste de esforço, o qual foi adiado no exercício de 2014" e, de acordo com a lista divulgada, trata-se do Novo Banco.

No início de outubro do ano passado, já a Autoridade Bancária Europeia (EBA, na sigla inglesa), tinha revelado que, tendo em conta a medida de resolução aplicada ao Banco Espírito Santo (BES) e a criação da nova instituição financeira - o Novo Banco, uma entidade de transição -, o teste de 'stress' teve que ser adiado, sem na altura referir nova data.

Os outros bancos cuja avaliação completa será conhecida em novembro são o Banque Degroof (Bélgica), a Agence Française de Développement (França), o JP Morgam Bank Luxembourg (Luxemburgo), o Mediterranean Bank (Malta), o Sberbank Europe e o VTB Bank (Áustria), o Unicredit Banka Slovenija (Eslovénia) e o Kuntarahoitus (Finlândia).

Destes nove bancos, cinco "passaram a ser significativos já em 2014" e os restantes quatro "podem tornar-se significativos até janeiro de 2016, estando, por conseguinte, sujeitos a uma avaliação completa".

Os bancos passam a ser supervisionados diretamente pelo BCE mediante uma série de critérios, nomeadamente se o valor total dos ativos exceder 30 mil milhões de euros ou 20% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado-Membro em causa, ou ainda se o banco passar a ser uma das três instituições de crédito de maior importância sistémica num Estado-membro participante, de acordo com o Regulamento do Mecanismo Único de Supervisão.

Esta avaliação consiste "numa análise da qualidade dos ativos e num teste de esforço" e está a ser realizada pelo BCE em consonância com a metodologia aplicada no exercício do ano passado.

Na nota, o BCE refere que a avaliação completa realizada em 2014 foi um exame da saúde financeira de 130 bancos, levado a cabo antes de o BCE assumir diretamente as funções de supervisão bancária, tendo identificado "um défice de fundos próprios de 25 mil milhões de euros em 25 bancos e défices residuais em 13 bancos".

Dos 130 bancos que foram submetidos às avaliações conjuntas do BCE e da Autoridade Bancária Europeia, 25 chumbaram, tendo Itália sido o país mais afetado pelos chumbos, com nove bancos a falharem no exame.

Em Portugal, o Banco Comercial Português (BCP) foi o único dos três bancos portugueses que chumbou no cenário mais adverso dos testes de 'stress', enquanto a Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Banco BPI passaram no exame.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • Bastidores do sambódromo: um espétaculo à parte
    3:22
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.