sicnot

Perfil

Economia

Nobel da Economia atribuído a Angus Deaton

A Real Academia Sueca das Ciências distinguiu hoje com o Prémio Nobel da Economia Angus Deaton. O trabalho do professor da Universidade de Princeton foi premiado "pela sua análise na área do consumo, pobreza e bem-estar".

DR

Angus Deaton numa ilustração divulgada pela Real Academia Sueca das Ciências

Angus Deaton numa ilustração divulgada pela Real Academia Sueca das Ciências

nobelprize.org

Revelando enorme satisfação e um grande sentido de humor, Angus Deaton respondeu às perguntas dos jornalistas depois de ter sido contactado pelos responsáveis da Real Academia Sueca. Entre as várias declarações, Deaton não diabolizou o consumo, dizendo em resposta a uma das questões que não lhe cabe o papel de dizer às pessoas se devem ou não consumir mais ou menos.

Angus Deaton nasceu em Edimburgo, Escócia, a 19 de outubro de 1945, mas tem cidadania norte-americana e britânica e é investigador e professor na célebre Universidade de Princeton, nos Estados Unidos.

"Para elaborar políticas económicas que promovam o bem-estar e reduzam a pobreza, devemos primeiro perceber as escolhas de consumo individuais. Angus Deaton melhorou esse entendimento melhor do que ninguém", afirmou a Real Academia de Ciências.

"Relacionando as escolhas individuais específicas e os resultados coletivos, a sua investigação contribuiu para transformar os domínios da microeconomia, da macroeconomia e da economia do desenvolvimento", acrescentou.

A obra de Deaton gira em torno de três questões essenciais: como os consumidores repartem as suas despesas, quanto se poupa e quanto se gasta no conjunto da sociedade e por fim como avaliar o bem-estar individual.

Em 2014, o Nobel da Economia distinguiu o francês Jean Tirole, mas os norte-americanos dominam a lista de premiados dos últimos anos. Só uma mulher recebeu até agora este prémio, Elinor Ostrom, norte-americana, distinguida em 2009.

O Nobel da Economia encerra a atribuição dos prémios deste ano, que distinguiram entre outros a bielorrussa Svetlana Alexievitch na Literatura e um grupo de defensores do diálogo democrático na Tunísia com o Nobel da Paz.

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC