sicnot

Perfil

Economia

Crédito malparado das famílias e empresas juntos bate novo recorde

O crédito malparado das famílias e das empresas subiu em agosto, ultrapassando a barreira dos 19.000 milhões de euros, um novo recorde, e representando mais de 9% do total dos empréstimos concedidos, segundo o Banco de Portugal (BdP).

© Sukree Sukplang / Reuters

De acordo com números divulgados hoje pelo banco central, em agosto o total de empréstimos concedidos pela banca tanto às famílias como às empresas ascendia a 205.485 milhões de euros, dos quais 19.098 milhões de euros são considerados crédito de cobrança duvidosa, o equivalente a 9,29% do total dos empréstimos.

Em julho, o crédito malparado das famílias e das empresas representava 18.829 milhões de euros, o que corresponde a 9,15% do total de 205.722 milhões de euros em empréstimos concedidos pela banca a particulares.

Considerando apenas os créditos atribuídos às famílias, estes totalizaram 121.145 milhões de euros em agosto, dos quais 5.362 milhões de euros (4,42%) correspondem a crédito malparado.

O BdP registou em agosto uma ligeira diminuição do crédito de cobrança duvidosa nas famílias, uma vez que o montante total em julho totalizava 5.386 milhões de euros, o que representava 4,434% do total concedido.

Dos empréstimos a particulares, 99.517 milhões de euros correspondiam a créditos à habitação, dos quais 2,56%, ou seja, 2.554 milhões eram de cobrança duvidosa, representando um ligeiro aumento face a julho. Nesse mês, os créditos malparados à habitação representavam 2.543 milhões de euros e 2,54% do total concedido pela banca a particulares.

O montante emprestado pela banca para consumo das famílias atingiu 11.946 milhões de euros no final de agosto, dos quais 10,63%, ou seja, 1.271 milhões de euros correspondiam a crédito malparado, o que revela uma ligeira diminuição face ao mês anterior. Em julho, o malparado no crédito ao consumo representava 10,85% do total concedido, ou seja, 1.292 milhões de euros.

Já no caso das empresas, no final de agosto, os empréstimos concedidos atingiram os 84.340 milhões de euros, um montante inferior ao registado em julho, quando estes créditos somaram os 84.577 milhões de euros.

O crédito de cobrança duvidosa das empresas passou dos 13.467 milhões de euros em julho para os 13.736 milhões em agosto, o que demonstra um aumento de 2%.

A percentagem de crédito malparado nas empresas passou de 15,9% em julho para 16,3% em junho.

Lusa

  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • Várias povoações evacuadas no concelho de Nisa

    País

    Várias povoações do concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira à noite evacuadas, devido à ameaça do incêndio que lavra no concelho, disse à agência Lusa a presidente do município, Idalina Trindade.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14