sicnot

Perfil

Economia

Moedas anuncia 16 mil M€ para investigação na UE

A Comissão Europeia vai investir cerca de 16 mil milhões de euros em investigação e inovação nos próximos dois anos, no âmbito do programa-quadro "Horizonte 2020", anunciou hoje em Bruxelas o comissário Carlos Moedas.

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Thierry Monasse

O comissário português, responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário de Jean-Claude Juncker, apresentou hoje o programa de trabalho para o período 2016-2017, que especifica as oportunidades de financiamento para os próximos dois anos, através de uma série de convites à apresentação de propostas, contratos públicos e outras medidas, como os prémios Horizonte.

Em conferência de imprensa, Carlos Moedas destacou que, do montante global de quase 16 mil milhões de euros para os próximos dois anos, cerca de 2 mil milhões de euros se destinam a Pequenas e Médias Empresas (PME), incluindo 740 milhões de euros através de um instrumento que visa apoiar mais de 2.000 PME consideradas altamente inovadoras.

De acordo com o executivo comunitário, serão apoiadas várias iniciativas transversais, como a modernização da indústria transformadora europeia (mil milhões de euros), a Indústria 2020 na Economia Circular (670 milhões de euros), as Cidades Inteligentes e Sustentáveis (232 milhões de euros) para a melhor integração dos aspetos relacionados com a proteção do ambiente, os transportes, a energia e as redes digitais nos ambientes urbanos da UE, entre outras.

O programa inclui ainda pelo menos 8 milhões de euros para financiamento à investigação no domínio da segurança das fronteiras externas, para ajudar a identificar e prevenir o tráfico de seres humanos e a introdução clandestina de migrantes, 27 milhões de euros para as novas tecnologias dirigidas à prevenção do crime e do terrorismo e 15 milhões de euros para a investigação sobre a origem e o impacto dos fluxos migratórios na Europa.

"A investigação e a inovação constituem os motores do progresso da Europa e são essenciais para fazermos face aos novos desafios prementes com que nos confrontamos hoje, como é o caso da imigração, das alterações climáticas, da energia não poluente e da promoção de sociedades saudáveis", comentou Carlos Moedas.

O programa da União Europeia para o financiamento da investigação e da inovação, o chamado "Horizonte 2020", foi lançado a 1 de janeiro de 2014, prevendo um investimento, ao longo de sete anos, de 77 mil milhões de euros em projetos de investigação e inovação destinados a "apoiar a competitividade económica da Europa e a alargar as fronteiras do conhecimento humano".

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efetivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21
  • Antigos quadros da Facebook declaram-se preocupados com efeitos da rede social

    Mundo

    Alguns dos antigos quadros da empresa Facebook estão a começar a exprimir sérias dúvidas sobre a rede social que ajudaram a criar, foi noticiado. A Facebook explora "uma vulnerabilidade na psicologia humana" para criar dependência entre os seus utilizadores, afirmou o primeiro presidente da empresa, Sean Parker, num fórum público.