sicnot

Perfil

Economia

Moedas anuncia 16 mil M€ para investigação na UE

A Comissão Europeia vai investir cerca de 16 mil milhões de euros em investigação e inovação nos próximos dois anos, no âmbito do programa-quadro "Horizonte 2020", anunciou hoje em Bruxelas o comissário Carlos Moedas.

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Thierry Monasse

O comissário português, responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário de Jean-Claude Juncker, apresentou hoje o programa de trabalho para o período 2016-2017, que especifica as oportunidades de financiamento para os próximos dois anos, através de uma série de convites à apresentação de propostas, contratos públicos e outras medidas, como os prémios Horizonte.

Em conferência de imprensa, Carlos Moedas destacou que, do montante global de quase 16 mil milhões de euros para os próximos dois anos, cerca de 2 mil milhões de euros se destinam a Pequenas e Médias Empresas (PME), incluindo 740 milhões de euros através de um instrumento que visa apoiar mais de 2.000 PME consideradas altamente inovadoras.

De acordo com o executivo comunitário, serão apoiadas várias iniciativas transversais, como a modernização da indústria transformadora europeia (mil milhões de euros), a Indústria 2020 na Economia Circular (670 milhões de euros), as Cidades Inteligentes e Sustentáveis (232 milhões de euros) para a melhor integração dos aspetos relacionados com a proteção do ambiente, os transportes, a energia e as redes digitais nos ambientes urbanos da UE, entre outras.

O programa inclui ainda pelo menos 8 milhões de euros para financiamento à investigação no domínio da segurança das fronteiras externas, para ajudar a identificar e prevenir o tráfico de seres humanos e a introdução clandestina de migrantes, 27 milhões de euros para as novas tecnologias dirigidas à prevenção do crime e do terrorismo e 15 milhões de euros para a investigação sobre a origem e o impacto dos fluxos migratórios na Europa.

"A investigação e a inovação constituem os motores do progresso da Europa e são essenciais para fazermos face aos novos desafios prementes com que nos confrontamos hoje, como é o caso da imigração, das alterações climáticas, da energia não poluente e da promoção de sociedades saudáveis", comentou Carlos Moedas.

O programa da União Europeia para o financiamento da investigação e da inovação, o chamado "Horizonte 2020", foi lançado a 1 de janeiro de 2014, prevendo um investimento, ao longo de sete anos, de 77 mil milhões de euros em projetos de investigação e inovação destinados a "apoiar a competitividade económica da Europa e a alargar as fronteiras do conhecimento humano".

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47