sicnot

Perfil

Economia

Moedas anuncia 16 mil M€ para investigação na UE

A Comissão Europeia vai investir cerca de 16 mil milhões de euros em investigação e inovação nos próximos dois anos, no âmbito do programa-quadro "Horizonte 2020", anunciou hoje em Bruxelas o comissário Carlos Moedas.

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Thierry Monasse

O comissário português, responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário de Jean-Claude Juncker, apresentou hoje o programa de trabalho para o período 2016-2017, que especifica as oportunidades de financiamento para os próximos dois anos, através de uma série de convites à apresentação de propostas, contratos públicos e outras medidas, como os prémios Horizonte.

Em conferência de imprensa, Carlos Moedas destacou que, do montante global de quase 16 mil milhões de euros para os próximos dois anos, cerca de 2 mil milhões de euros se destinam a Pequenas e Médias Empresas (PME), incluindo 740 milhões de euros através de um instrumento que visa apoiar mais de 2.000 PME consideradas altamente inovadoras.

De acordo com o executivo comunitário, serão apoiadas várias iniciativas transversais, como a modernização da indústria transformadora europeia (mil milhões de euros), a Indústria 2020 na Economia Circular (670 milhões de euros), as Cidades Inteligentes e Sustentáveis (232 milhões de euros) para a melhor integração dos aspetos relacionados com a proteção do ambiente, os transportes, a energia e as redes digitais nos ambientes urbanos da UE, entre outras.

O programa inclui ainda pelo menos 8 milhões de euros para financiamento à investigação no domínio da segurança das fronteiras externas, para ajudar a identificar e prevenir o tráfico de seres humanos e a introdução clandestina de migrantes, 27 milhões de euros para as novas tecnologias dirigidas à prevenção do crime e do terrorismo e 15 milhões de euros para a investigação sobre a origem e o impacto dos fluxos migratórios na Europa.

"A investigação e a inovação constituem os motores do progresso da Europa e são essenciais para fazermos face aos novos desafios prementes com que nos confrontamos hoje, como é o caso da imigração, das alterações climáticas, da energia não poluente e da promoção de sociedades saudáveis", comentou Carlos Moedas.

O programa da União Europeia para o financiamento da investigação e da inovação, o chamado "Horizonte 2020", foi lançado a 1 de janeiro de 2014, prevendo um investimento, ao longo de sete anos, de 77 mil milhões de euros em projetos de investigação e inovação destinados a "apoiar a competitividade económica da Europa e a alargar as fronteiras do conhecimento humano".

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.