sicnot

Perfil

Economia

Moedas anuncia 16 mil M€ para investigação na UE

A Comissão Europeia vai investir cerca de 16 mil milhões de euros em investigação e inovação nos próximos dois anos, no âmbito do programa-quadro "Horizonte 2020", anunciou hoje em Bruxelas o comissário Carlos Moedas.

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Carlos Moedas, comissário português responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário (AP/ Arquivo)

Thierry Monasse

O comissário português, responsável pela pasta da Investigação, Ciência e Inovação no executivo comunitário de Jean-Claude Juncker, apresentou hoje o programa de trabalho para o período 2016-2017, que especifica as oportunidades de financiamento para os próximos dois anos, através de uma série de convites à apresentação de propostas, contratos públicos e outras medidas, como os prémios Horizonte.

Em conferência de imprensa, Carlos Moedas destacou que, do montante global de quase 16 mil milhões de euros para os próximos dois anos, cerca de 2 mil milhões de euros se destinam a Pequenas e Médias Empresas (PME), incluindo 740 milhões de euros através de um instrumento que visa apoiar mais de 2.000 PME consideradas altamente inovadoras.

De acordo com o executivo comunitário, serão apoiadas várias iniciativas transversais, como a modernização da indústria transformadora europeia (mil milhões de euros), a Indústria 2020 na Economia Circular (670 milhões de euros), as Cidades Inteligentes e Sustentáveis (232 milhões de euros) para a melhor integração dos aspetos relacionados com a proteção do ambiente, os transportes, a energia e as redes digitais nos ambientes urbanos da UE, entre outras.

O programa inclui ainda pelo menos 8 milhões de euros para financiamento à investigação no domínio da segurança das fronteiras externas, para ajudar a identificar e prevenir o tráfico de seres humanos e a introdução clandestina de migrantes, 27 milhões de euros para as novas tecnologias dirigidas à prevenção do crime e do terrorismo e 15 milhões de euros para a investigação sobre a origem e o impacto dos fluxos migratórios na Europa.

"A investigação e a inovação constituem os motores do progresso da Europa e são essenciais para fazermos face aos novos desafios prementes com que nos confrontamos hoje, como é o caso da imigração, das alterações climáticas, da energia não poluente e da promoção de sociedades saudáveis", comentou Carlos Moedas.

O programa da União Europeia para o financiamento da investigação e da inovação, o chamado "Horizonte 2020", foi lançado a 1 de janeiro de 2014, prevendo um investimento, ao longo de sete anos, de 77 mil milhões de euros em projetos de investigação e inovação destinados a "apoiar a competitividade económica da Europa e a alargar as fronteiras do conhecimento humano".

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC