sicnot

Perfil

Economia

China empresta 5,2 mil milhões de euros a Angola

O Governo angolano anunciou hoje que o acordo estabelecido com a China em junho prevê a atribuição a Angola de um crédito a rondar os seis mil milhões de dólares [5,2 mil milhões de euros], a aplicar em investimento público no país.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Stringer . / Reuters

A informação foi prestada na Assembleia Nacional pelo vice-Presidente da República de Angola, Manuel Vicente, em representação do chefe de Estado, na anual mensagem sobre o estado da nação, no arranque do novo ano parlamentar, devido à "indisposição" de José Eduardo dos Santos.

"Contraíram-se também créditos à China no valor de aproximadamente seis mil milhões de dólares norte-americanos [5,2 mil milhões de euros], destinados a investimento público nos domínios da educação, saúde, água, energia elétrica e estradas, tendo sido já aprovado pelo executivo o plano operacional para assegurar a execução de projetos identificados em 2016 e em 2017", disse Manuel Vicente.

Até agora, e apesar da insistência dos partidos da oposição, não era conhecido o valor destes acordos, fechados durante a visita de Estado de José Eduardo dos Santos à China.

No discurso do chefe de Estado, lido pelo vice-Presidente, foi esclarecido ainda que "até ao presente momento" o valor da dívida pública angolana corresponde a cerca de 45,8% do Produto Interno Bruto (PIB) projetado para 2015.

Angola enfrenta uma crise financeira e económica devido à forte quebra da cotação internacional do barril de crude no mercado internacional, o que provocou também uma crise cambial, pela redução de entrada de divisas no país e fez disparar a inflação, que em termos acumulados, de um ano, já ultrapassa os 11%.

No mesmo discurso, também devido à situação petrolífera, foi ainda anunciada uma revisão oficial em baixa, para 4%, da previsão do crescimento do PIB, face aos anteriores 6,6% apontados no Orçamento Geral do Estado de 2015, revisto em março.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19