sicnot

Perfil

Economia

Lesados do BES "perplexos" com acusações de "agressões, tumultos e insurreições"

Alguns dos lesados de papel comercial do GES, vendido através dos balcões do BES, dizem que estão a assistir "com perplexidade" à notificação das autoridades para prestarem declarações sobre "agressões, tumultos e insurreições" de que poderão vir a ser acusados.

"Retirem o dinheiro dos bancos portugueses no 1.º de outubro 2015 às 11H00" é uma das "palavras de ordem do protesto", de acordo com o comunicado do Movimento dos Emigrantes Lesados do BES/Novo Banco. (Arquivo)

"Retirem o dinheiro dos bancos portugueses no 1.º de outubro 2015 às 11H00" é uma das "palavras de ordem do protesto", de acordo com o comunicado do Movimento dos Emigrantes Lesados do BES/Novo Banco. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Num comunicado, o advogado de 467 lesados, Nuno da Silva Vieira, revela que se está a assistir "à notificação de lesados de papel comercial do BES para prestarem declarações na qualidade de denunciados relativamente a vários crimes" e que, "de acordo com os primeiros interrogatórios, os lesados poderão vir a ser acusados de agressões, tumultos e insurreições".

Para o advogado, esta ação das autoridades é uma "forma de intimidação", já que viola "um direito constitucional à manifestação", sublinhando que, "de acordo com a mais assente jurisprudência sobre o assunto, o direito à manifestação pode ser feito através de protestos na via pública, com voz, abrangendo gestos, emblemas insígnias, bandeiras, cantos, gritos, aclamações, entre outras formas sem que nunca se possa excluir o silêncio".

Nuno da Silva Vieira frisa que "as imagens que passam pela comunicação social têm mostrado pessoas erguidas na sua dignidade, muitas vezes empurradas e escorraçadas pelas forças públicas, muitas vezes assistidas por se esvaírem em sofrimento e nada mais".

O representante dos lesados do papel comercial do GES pede a "intervenção urgente das mais altas instâncias da governação e da República", afirmando que estão a ser atingidas "proporções desconformes com um Estado de Direito".

No entanto, Silva Vieira acrescenta que os lesados "irão apresentar-se para prestar declarações, com a máxima dignidade", mas não deixarão "de processar aqueles" que julgam "responsáveis por esta tentativa de silenciar vozes".

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.