sicnot

Perfil

Economia

Lesados do BES "perplexos" com acusações de "agressões, tumultos e insurreições"

Alguns dos lesados de papel comercial do GES, vendido através dos balcões do BES, dizem que estão a assistir "com perplexidade" à notificação das autoridades para prestarem declarações sobre "agressões, tumultos e insurreições" de que poderão vir a ser acusados.

"Retirem o dinheiro dos bancos portugueses no 1.º de outubro 2015 às 11H00" é uma das "palavras de ordem do protesto", de acordo com o comunicado do Movimento dos Emigrantes Lesados do BES/Novo Banco. (Arquivo)

"Retirem o dinheiro dos bancos portugueses no 1.º de outubro 2015 às 11H00" é uma das "palavras de ordem do protesto", de acordo com o comunicado do Movimento dos Emigrantes Lesados do BES/Novo Banco. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Num comunicado, o advogado de 467 lesados, Nuno da Silva Vieira, revela que se está a assistir "à notificação de lesados de papel comercial do BES para prestarem declarações na qualidade de denunciados relativamente a vários crimes" e que, "de acordo com os primeiros interrogatórios, os lesados poderão vir a ser acusados de agressões, tumultos e insurreições".

Para o advogado, esta ação das autoridades é uma "forma de intimidação", já que viola "um direito constitucional à manifestação", sublinhando que, "de acordo com a mais assente jurisprudência sobre o assunto, o direito à manifestação pode ser feito através de protestos na via pública, com voz, abrangendo gestos, emblemas insígnias, bandeiras, cantos, gritos, aclamações, entre outras formas sem que nunca se possa excluir o silêncio".

Nuno da Silva Vieira frisa que "as imagens que passam pela comunicação social têm mostrado pessoas erguidas na sua dignidade, muitas vezes empurradas e escorraçadas pelas forças públicas, muitas vezes assistidas por se esvaírem em sofrimento e nada mais".

O representante dos lesados do papel comercial do GES pede a "intervenção urgente das mais altas instâncias da governação e da República", afirmando que estão a ser atingidas "proporções desconformes com um Estado de Direito".

No entanto, Silva Vieira acrescenta que os lesados "irão apresentar-se para prestar declarações, com a máxima dignidade", mas não deixarão "de processar aqueles" que julgam "responsáveis por esta tentativa de silenciar vozes".

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.