sicnot

Perfil

Economia

Lesados do BES "perplexos" com acusações de "agressões, tumultos e insurreições"

Alguns dos lesados de papel comercial do GES, vendido através dos balcões do BES, dizem que estão a assistir "com perplexidade" à notificação das autoridades para prestarem declarações sobre "agressões, tumultos e insurreições" de que poderão vir a ser acusados.

"Retirem o dinheiro dos bancos portugueses no 1.º de outubro 2015 às 11H00" é uma das "palavras de ordem do protesto", de acordo com o comunicado do Movimento dos Emigrantes Lesados do BES/Novo Banco. (Arquivo)

"Retirem o dinheiro dos bancos portugueses no 1.º de outubro 2015 às 11H00" é uma das "palavras de ordem do protesto", de acordo com o comunicado do Movimento dos Emigrantes Lesados do BES/Novo Banco. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Num comunicado, o advogado de 467 lesados, Nuno da Silva Vieira, revela que se está a assistir "à notificação de lesados de papel comercial do BES para prestarem declarações na qualidade de denunciados relativamente a vários crimes" e que, "de acordo com os primeiros interrogatórios, os lesados poderão vir a ser acusados de agressões, tumultos e insurreições".

Para o advogado, esta ação das autoridades é uma "forma de intimidação", já que viola "um direito constitucional à manifestação", sublinhando que, "de acordo com a mais assente jurisprudência sobre o assunto, o direito à manifestação pode ser feito através de protestos na via pública, com voz, abrangendo gestos, emblemas insígnias, bandeiras, cantos, gritos, aclamações, entre outras formas sem que nunca se possa excluir o silêncio".

Nuno da Silva Vieira frisa que "as imagens que passam pela comunicação social têm mostrado pessoas erguidas na sua dignidade, muitas vezes empurradas e escorraçadas pelas forças públicas, muitas vezes assistidas por se esvaírem em sofrimento e nada mais".

O representante dos lesados do papel comercial do GES pede a "intervenção urgente das mais altas instâncias da governação e da República", afirmando que estão a ser atingidas "proporções desconformes com um Estado de Direito".

No entanto, Silva Vieira acrescenta que os lesados "irão apresentar-se para prestar declarações, com a máxima dignidade", mas não deixarão "de processar aqueles" que julgam "responsáveis por esta tentativa de silenciar vozes".

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.