sicnot

Perfil

Economia

Controlo de capitais na Grécia pode acabar a partir do segundo semestre de 2016

O ministro-adjunto das Finanças da Grécia, Georges Chouliarakis, disse hoje que o controlo de capitais no país, imposto em junho passado, pode ser completamente levantado a partir do segundo semestre do próximo ano.

Ministro-adjunto das Finanças da Grécia, Georges Chouliarakis (Reuters)

Ministro-adjunto das Finanças da Grécia, Georges Chouliarakis (Reuters)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

As declarações do responsável grego foram feitas numa intervenção na comissão parlamentar de Finanças.

Chouliarakis afirmou que a recessão em 2015 deverá alcançar 1,4% do produto interno bruto (PIB), muito abaixo dos 2,3% inicialmente previstos.

As estimativas do ministro-adjunto das Finanças ficam próximas das que foram divulgadas pelo instituto económico IOBE, que há dias previu uma contração do PIB entre 1,5% e 2% em 2015.

Em 2016, a recessão deverá ficar em 1,3% do PIB, ligeiramente abaixo do previsto no orçamento (1,5%).

Segundo Chouliarakis, o mais importante no orçamento de 2016 é que o objetivo para o excedente primário "fica limitado a 0,6% do PIB, muito abaixo dos 4,5% apontados no segundo programa de resgate".

"Esta diferença é de cerca de 7.500 milhões de euros", indicou, explicando que graças a esta redução o governo terá de evitar cortes.

Após seis anos consecutivos de recessão, a Grécia perdeu 25% do seu PIB, mas registou um ligeiro crescimento de 0,3% em 2014, que continuou no primeiro semestre deste ano. Após o encerramento dos bancos por algumas semanas a 29 de junho e a imposição do controlo de capitais, a tendência mudou.

Lusa

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.