sicnot

Perfil

Economia

Estado emite 1.400 milhões de euros de dívida com juros mais baixos

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) angariou hoje mais 1.400 milhões de euros através de títulos de dívida de curto prazo, a custos inferiores ao do anterior leilão.

SIC

O Estado arrecadou 300 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro (BT) a três meses em troca de uma taxa de juro negativa de -0,021% (-0,013% no leilão anterior realizado em agosto), mais 1.100 milhões de euros em BT a 11 meses contra um juro médio de 0,06% (0,021% em agosto).

A emissão superou a expetativa inicial de 1.250 milhões de euros, com a procura a manter-se forte, dentro do que têm sido os valores médios, segundo a análise do diretor da gestão de ativos do Banco Carregosa, Filipe Silva.

"Numa leitura mais analítica diria que o impasse na formação do governo, que pode estar a ter impacto nas ações, não tem efeitos no mercado de dívida pública. Enquanto o Banco Central Europeu continuar o seu programa de 'Quantitative Easing', garantindo a compra de dívida aos países, os investidores não receiam comprar", justificou.

No caso das BT a três meses, que vencem a 22 de janeiro de 2016, a procura superou 3,37 vezes a oferta, enquanto nas BT a 11 meses, com vencimento a 23 de setembro de 2016, a procura ultrapassou a oferta 1,84 vezes.

Para o gestor do banco Big, Steven Santos, "os resultados extremamente positivos revelam que os investidores mantêm a confiança nos fatores fundamentais da economia portuguesa, apesar de ainda não ter sido formado governo, mais de duas semanas depois das eleições" e mantêm o interesse na dívida nacional.

Além disso, "o 'timing' da operação foi oportuno, na medida em que só a Alemanha emitiu obrigações a dois anos (Schatz) no mercado primário" e Portugal não teve, por isso, de enfrentar a concorrência doutros países periféricos no mercado europeu de dívida soberana.

Steven Santos salienta ainda "a procura dos investidores por rendimento, por mais baixo que possa parecer" e lembra que voltar a captar financiamento a juros negativos não era indispensável para o sucesso desta operação.

"O objetivo principal deste leilão duplo era substituir os títulos de curto prazo próximos da maturidade, como os 1.404,84 milhões de euros que vencem a 20 de novembro e os 842.622 milhões de euros que vencem a 18 de dezembro", explicou.

O IGCP espera arrecadar até 3.750 milhões de euros em Bilhetes de Tesouro até ao final do ano, emitindo entre 1.000 e 1.250 milhões de euros uma vez por mês.

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.