sicnot

Perfil

Economia

Ferrari estreia-se hoje em Wall Street

A construtora de carros desportivos italiana Ferrari vai entrar hoje na bolsa de Nova Iorque a um preço de 52 dólares por ação.

© Brendan McDermid / Reuters

Com a entrada em Wall Street, a Ferrari planeia vender 17,2 milhões de ações, ou seja 9% do seu capital.

Os primeiros títulos da Ferrari começam a ser negociados logo depois da abertura da bolsa, com o símbolo "Race" (raça).

O piso do famoso centro financeiro norte-americano vai ser vestido de vermelho, a cor emblemática do carro italiano, para os líderes da empresa tocarem a campainha, sinónimo do início da negociação.

A entrada da Ferrari na bolsa nova-iorquina deverá ser um dos acontecimentos mais seguidos do ano e poderá acabar com a melancolia que atingiu Wall Street no verão.

Ao colocar o preço por ação nos 52 dólares, a Ferrari responde ao forte apetite dos investidores pela marca.

O grupo automóvel Fiat Chrysler Automobiles (FCA), detentora de 90% da Ferrari (os restantes 10% são detidos pelo filho de Enzo Ferrari, que fundou a marca em 1947) pretende utilizar os fundos recolhidos com a operação de entrada no mercado nova-iorquino para financiar o seu ambicioso plano de desenvolvimento para os próximos cinco anos, que prevê a venda de sete milhões de carros por ano.

Lusa

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Primeiro-ministro sueco "surpreendido" com as declarações de Trump
    0:53

    Mundo

    O primeiro-ministro sueco ficou surpreendido com as declarações de Donald Trump, que, no fim de semana, se referiu a um suposto ataque terrorista no país escandinavo, relacionado com a imigração. Stefan Löfven fala na responsabilidade de usar os factos correctamente e diz que é preciso verificar a informação que é divulgada.

  • Angelina emociona-se ao falar da separação de Brad Pitt
    1:25
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46