sicnot

Perfil

Economia

Ferrari estreia-se hoje em Wall Street

A construtora de carros desportivos italiana Ferrari vai entrar hoje na bolsa de Nova Iorque a um preço de 52 dólares por ação.

© Brendan McDermid / Reuters

Com a entrada em Wall Street, a Ferrari planeia vender 17,2 milhões de ações, ou seja 9% do seu capital.

Os primeiros títulos da Ferrari começam a ser negociados logo depois da abertura da bolsa, com o símbolo "Race" (raça).

O piso do famoso centro financeiro norte-americano vai ser vestido de vermelho, a cor emblemática do carro italiano, para os líderes da empresa tocarem a campainha, sinónimo do início da negociação.

A entrada da Ferrari na bolsa nova-iorquina deverá ser um dos acontecimentos mais seguidos do ano e poderá acabar com a melancolia que atingiu Wall Street no verão.

Ao colocar o preço por ação nos 52 dólares, a Ferrari responde ao forte apetite dos investidores pela marca.

O grupo automóvel Fiat Chrysler Automobiles (FCA), detentora de 90% da Ferrari (os restantes 10% são detidos pelo filho de Enzo Ferrari, que fundou a marca em 1947) pretende utilizar os fundos recolhidos com a operação de entrada no mercado nova-iorquino para financiar o seu ambicioso plano de desenvolvimento para os próximos cinco anos, que prevê a venda de sete milhões de carros por ano.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.