sicnot

Perfil

Economia

Air France pode estar a preparar-se para despedir mais do que o anunciado, dizem sindicatos

A Air France pode estar a prepara-se para despedir mais do que os 2.900 trabalhadores anunciados no início desta semana. De acordo com a agência Reuters, esse número poderá chegar aos 5.000.

© Jacky Naegelen / Reuters

De acordo com o sindicato, citado pela agência Reuters, a Air France não deu quaisquer garantias quanto ao número total de trabalhadores que irão para a rua até 2017.

Escreve a Reuters que uma fonte do sindicato desconfia que a empresa prepara-se para despedir 5.000 pessoas.

No início da semana, Alexandre de Juniac, CEO da Air France, anunciava um plano de reestruturação social da transportadora aérea francesa que prevê que sejam despedidos no total 2.900 trabalhadores nos próximos dois anos.

Numa primeira fase, e já no próximo ano, vão para a rua cerca de mil trabalhadores, por mútuo acordo. Os restantes em 2017, o que, segundo órgãos de comunicação social franceses, irá aumentar as tensões sociais na transportadora aérea.

A Air France emprega atualmente 52 500 trabalhadores.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.