sicnot

Perfil

Economia

Ocupação hoteleira sobe para 87% em agosto com preço médio por quarto a crescer, diz associação

A taxa de ocupação por quarto na hotelaria subiu 1,61 pontos percentuais em agosto, face ao período homólogo de 2014, ultrapassando 87%, e com o preço médio por quarto a crescer, segundo a Associação de Hotelaria de Portugal (AHP).

Apesar do crescimento na ocupação hoteleira, em agosto os monitors da AHP (Tourism Monitor) registam abrandamento no ritmo de crescimento deste indicador, por comparação com o que se vinha a verificar nos meses anteriores.

"Esse ritmo de crescimento abrandou face aos meses anteriores, o que é natural. Agosto é, por tradição, o mês mais forte de ocupação hoteleira e, consequentemente, a margem de progressão para o crescimento nesse indicador é menor", explicou Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP, numa nota enviada.

O Tourism Monitor da AHP revela ainda que todas as categorias hoteleiras registaram aumentos em agosto, com destaque para as unidades de cinco estrelas, com uma variação de mais 2,88 pontos percentuais (p.p.) face a agosto de 2014.

Os destinos turísticos com a taxa de ocupação mais elevada foram o Algarve (93,49%), Madeira (92,43%), Grande Porto (89,55%) e Costa Azul (89,69%).

O preço médio por quarto ocupado fixou-se em 98,05 euros, revelando uma subida de 13,54%, enquanto o preço médio por quarto disponível (RevPar) teve um aumento homólogo de 15,68%, atingindo 85,72 euros.

Os destinos turísticos com o RevPar mais elevado foram o Algarve (137,74 euros) e Estoril/Sintra (103,44 euros).

A receita média por turista no hotel foi de 113 euros, mais 4,63% do que em agosto de 2014, enquanto a estada média de 1,94 dias, valor inferior a 4,9% face ao verificado no período homólogo.

Lusa

  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50
  • Primeira casa reconstruída de raiz depois dos incêndios de Pedrógão já foi entregue
    1:49
  • Saiba que efeitos causam os diferentes tipos de bebidas alcoólicas

    Mundo

    As diferentes bebidas alcoólicas alteram e moldam o estado de espírito de formas distintas, concluiu um estudo científico sobre consumo de álcool e emoções. Segundo esta pesquisa, quem ingere bebidas espirituosas pode sentir-se irritado, sexy ou triste, enquanto quem opta pelo vinho tinto ou cerveja terá mais probabilidade de se sentir descontraído.