sicnot

Perfil

Economia

Tribunais alemães julgam ex-presidente da Porsche por manipulação de mercado

Os tribunais alemães começaram hoje a julgar os ex-responsáveis da marca de luxo Porsche sob a acusação de manipulação de mercado na oferta pública de aquisição (OPA) feita ao grupo Volkswagen.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Michael Fiala / Reuters

O ex-presidente executivo da Porsche, Wendelin Wiedeking, assim como o ex-diretor financeiro, Holger Haerter, são acusados de ter dado ao público "informações falsas" sobre os planos da empresa em 2008.

A Porsche emitiu vários desmentidos públicos entre março e outubro de 2008 em que diziam estar a planear aumentar a sua participação na Volkswagen AG para 75%, quando na realidade, estavam num processo de aumento das suas ações na empresa, acusam os promotores.

Alguns meses mais tarde, a Porsche anunciou de um momento para o outro que estava a planear adquirir três quartos das ações da Volkswagen, afetando seriamente o preço-alvo das ações, acrescentaram.

Os advogados de defesa de Wendelin Wiedeking e Holger Haerter classificaram as acusações como "infundadas".

A OPA hostil fracassada da Porsche à Volkswagen pela Porsche deixou o fabricante de carros desportivos de luxo com dívidas de 10 mil milhões de euros.

Na altura, a Volkswagen contra-atacou e lançou uma oferta de aquisição da Porsche, 49,9% inicialmente em 2009 e atingiu os 60% em 2012.

Lusa

  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08
  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.