sicnot

Perfil

Economia

Grécia aprova lei para repor a ordem no setor privado de TV

O Parlamento grego aprovou na noite de sábado um projeto de lei que visa repor a ordem no setor privado de radiotelevisão e lutar contra a colisão poder-media-negócios, através do leilão de licenças audiovisuais.

Parlamento de Atenas (Reuters/ Arquivo)

Parlamento de Atenas (Reuters/ Arquivo)

© Yiorgos Karahalis / Reuters

A lei foi aprovada apenas pelos deputados da maioria parlamentar, ainda que alguns dos artigos tenham tido o apoio do Pasok e do Potami.

Esta reforma era uma das promessas do Governo de Alexis Tsipras aos credores do país, União Europeia (EU) e Fundo Monetário Internacional (FMI), e ao eleitorado, apresentada como algo que irá permitir "restabelecer a transparência na gestão das frequências, um bem público", e encher os cofres do Estado, de acordo com a porta-voz do Governo, Olga Gerovassili.

Combatida pelos barões dos media, a lei prevê a organização de um leilão das frequências de transmissão de sinal digital terrestre, já que o setor privado de radiotelevisão opera com licenças provisórias desde o seu início há 25 anos.

A oposição conservadora de direita votou contra a lei, acusando o Governo de querer impor o seu controlo no setor.

Cerca de uma dezena de televisões privadas operam hoje em dia na Grécia.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21