sicnot

Perfil

Economia

Fornecedora da Apple fecha fábrica na China devido a queda das vendas do iPad

A fabricante eletrónica taiwanesa Coretronic, fornecedora de ecrãs da norte-americana Apple, vai encerrar a produção numa das suas principais fábricas, no leste da China, devido à queda das vendas do iPad em todo o mundo.

© Max Rossi / Reuters

Segundo informa hoje o jornal oficial China Daily, a fábrica, localizada em Nanjing, a capital da província oriental chinesa de Jiangsu, a 300 quilómetros a norte de Xangai, não só parou a produção como iniciou o procedimento administrativo para liquidar os seus ativos por falência.

A unidade, estabelecida em 2005, fabricava módulos de iluminação posterior com ecrãs de cristal líquido (LCD) para os 'tablets' iPad, e conta com mais de 1.500 funcionários, os quais chegaram a produzir um milhão de unidades mensais.

Após cumprir a última encomenda, no início deste mês, a fábrica ficou sem novos pedidos e espera-se que complete a sua liquidação até ao final do ano, apesar de a empresa não ter confirmado se os empregados vão ser despedidos.

A Coretronic é um dos três maiores fabricantes mundiais de módulos de ecrãs LCD e de dispositivos óticos similares e tem outras seis fábricas na China, incluindo nos dois principais polos de alta tecnologia do país: Xangai e Cantão.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.