sicnot

Perfil

Economia

Goldman Sachs multado por abuso de informação confidencial

O banco Goldman Sachs foi multado em 50 milhões de dólares (46 milhões de euros) por violação de restrições à contratação de quadros da entidade reguladora e distribuição de informação confidencial desta proveniente, anunciaram hoje as autoridades.

© Brendan McDermid / Reuters

O Departamento de Serviços Financeiros (DSF), de Nova Iorque, informou que, além da multa, o Goldman Sachs aceitou não fazer contratações durante três anos que lhe dessem acesso a informação sensível do regulador.

"Este caso destaca a necessidade crítica das instituições financeiras de aplicarem controlos e políticas fortes na supervisão de conflitos de interesses dos seus empregados e no uso de informação confidencial do regulador", afirmou o superintendente do DFS, Anthony Albanese.

O Goldman Sachs ignorou as restrições que limitavam um antigo quadro do Banco da Reserva Federal (Fed) de Nova Iorque que contratou em julho de 2014, especificou o DFS.

Este quadro, Rohit Bansal, que trabalhou para a Fed de Nova Iorque durante sete anos, tinha sido aconselhado pelo Gabinete de Ética da antiga entidade patronal a não trabalhar para o Goldman Sachs num banco cliente que ele próprio fiscalizara, quando estava na Fed, até fevereiro de 2015.

Bansal entregou a sua notificação escrita que recebeu do Gabinete de Ética ao Goldman Sachs, mas este ignorou-a e afetou mesmo Bansal às operações com o banco cliente, apontou o DFS.

Bansal também foi acusado de "planear o roubo de documentos confidenciais do governo e do regulador", da Fed de Nova Iorque, para ajudar a aconselhar o banco cliente, acrescentou ainda o DFS.

A fonte de Bansal foi um quadro júnior da Fed de Nova Iorque, Jason Gross, que lhe enviou por correio eletrónico informação confidencial desta entidade reguladora sobre o banco cliente para o endereço pessoal de correio eletrónico de Bansal.

Depois, Bansal reenviou estas mensagens para os seus colegas de trabalho no Goldman Sachs, salientando por vezes que os documentos eram altamente confidenciais e não deveriam ser distribuídos.

Os quadros do Goldman Sachs usaram mais tarde alguma desta informação confidencial para aconselhar o banco cliente numa inspeção do regulador.

Este uso violou as restrições do Estado de Nova Iorque ao uso de informação confidencial de entidades reguladoras e despreza as próprias regras do Goldman Sachs sobre o uso deste tipo de informação por parte dos seus antigos empregados, contrastou o DFS.

Este caso destaca a cultura de proximidade, designada de 'portas giratórias', na qual os quadros circulam entre as agências de regulação e as entidades fiscalizadas.

Este problema tem sido particularmente incisivo com o Goldman Sachs, que tem empregado muitos quadros superiores da administração pública, antes ou depois de estarem no serviço público.

O atual presidente da Fed de Nova Iorque, William Dudley, é um antigo executivo do Goldman Sachs.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.