sicnot

Perfil

Economia

Portugal dos países onde é mais fácil fazer negócios

Num ranking do Banco Mundial, Portugal ocupa o 23º lugar entre 189 países onde é mais fácil fazer negócios.

(LUSA/ Arquivo)

Portugal detém a melhor posição a nível da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), seguido, ainda que a larga distância, pelo Brasil (116.º), Cabo Verde (126.º), Moçambique (133.º), São Tomé e Príncipe (166.º), Timor-Leste (173.º), Guiné-Bissau (178.º).

Guiné-Equatorial (180.º) e Angola (181.º) ocupam as piores posições.

Encabeçam o 'ranking' Singapura, Nova Zelândia, Dinamarca, Coreia do Sul e Hong Kong. Reino Unido e Estados Unidos figuram em sexto e sétimo lugar, respetivamente.

Já na cauda da lista está o Sudão do Sul, a Líbia e, por último, a Eritreia (189.º).

O relatório é elaborado com base na análise de uma dezena de indicadores, como tempo, custo ou procedimentos para abrir um negócio, obtenção de alvarás de construção, proteção de investidores minoritários, acesso à eletricidade, registo de propriedade, pagamento de impostos, obtenção de crédito, execução de contratos ou resolução de insolvências.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.