sicnot

Perfil

Economia

Brasil pôs ilha Almada à venda por seis milhões de euros

O Brasil colocou à venda Almada, uma ilha paradisíaca, na costa a norte de São Paulo, numa popular região turística de praias idílicas, com a sua exclusiva extensão de areia e uma casa de luxo construída nos anos 1990.

© Damir Sagolj / Reuters

O leilão está aberto até 3 de novembro, com um preço inicial de 25 milhões de reais (seis milhões de euros), noticiou hoje o sítio noticioso G1.

Mas há um senão, para além do preço, que não é claramente de um período de recessão, que são custos anuais fixos equivalentes a 18 mil euros.

A ilha pertence à Marinha brasileira e "apenas estão a ser vendidos os direitos de uso", adiantou ao G1 o agente imobiliário que está com o processo, Luiz Felipe Azevedo.

Outras das condições é, se houver guerra, a Marinha quer a ilha de volta.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.