sicnot

Perfil

Economia

Sérgio Monteiro vai liderar processo de venda do Novo Banco

Sérgio Monteiro vai mesmo ficar fora do novo Governo. O anterior secretário de Estado dos Transportes vai para o Fundo de Resolução e será o responsável pelo processo de venda do Novo Banco.

(LUSA/ ARQUIVO)

Sérgio Monteiro passa para o Fundo de Resolução em regime de contrato de prestação de serviços, mantém o vínculo à Caixa Geral de Depósitos, onde já estava antes de ser nomeado para o Ministério da Economia.

Na última legislatura Sérgio Monteiro deu a cara pela concessão dos transportes e pela privatização da TAP.

O banco central justificou a decisão afirmando que "a complexidade e os desafios associados ao processo da venda do Novo Banco" levaram à "necessidade de encontrar um responsável de reconhecido mérito e elevada experiência em operações desta natureza que pudesse assegurar a coordenação e gestão de toda a operação, incluindo o acompanhamento do programa de transformação a implementar pelo Novo Banco, que é condição essencial para a sua venda".

O atual Secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicação vai então "assumir a responsabilidade de PMO (Project Management Office) do projeto, estando prevista a sua contratação pelo Fundo de Resolução em articulação com a Associação Portuguesa de Bancos".

A informação do regulador e supervisor bancário confirma, assim, a notícia hoje avançada pelo Público no seu 'site'.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.