sicnot

Perfil

Economia

Banco de Portugal deteta 4.096 notas contrafeitas no 1º semestre

O Banco de Portugal informou hoje que foram retiradas de circulação 4.096 notas contrafeitas de euro em Portugal durante o primeiro semestre deste ano, o que representou menos de 1% das notas contrafeitas detetadas na zona euro.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Segundo o boletim semestral "Notas e Moedas", a nota de 20 euros foi a mais contrafeita neste período, tendo representado mais de metade (2.376) das notas retiradas de circulação em Portugal.

Esta tendência também se verificou no eurosistema, em que foram retiradas de circulação mais de 450 mil notas contrafeitas, das quais cerca de 250 mil eram de 20 euros. Em segundo lugar, tanto em Portugal como na zona euro, surgem as notas de 50 euros.

"As contrafações detetadas em circulação, durante o período em análise, são de qualidade regular e podem ser facilmente identificadas, recorrendo apenas a uma observação cuidada dos elementos de segurança da nota de euro, através da metodologia "Tocar - Observar - Inclinar", e sem necessidade de instrumentos auxiliares de verificação", adianta o Banco de Portugal.

Segundo o supervisor bancário, "sempre que se suspeite da genuinidade de uma nota, dever-se-á comparar nota suspeita com outra em que haja certeza da sua autenticidade, procurando sobretudo identificar eventuais diferenças".

No mesmo período, foram retiradas da circulação 1.735 moedas contrafeitas em Portugal, o que representa uma redução de cerca de 30% em comparação com o semestre anterior.

A moeda de dois euros, representando 73% do total das moedas apreendidas em circulação, continua a ser a mais contrafeita, revela a instituição.

O volume de moedas contrafeitas retiradas da circulação em Portugal representa cerca de 2,2% do total apurado no eurosistema.

Lusa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espirito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espirito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Porque abanam as bancadas
    9:37