sicnot

Perfil

Economia

Congresso dos EUA aprova orçamento para os próximos dois anos

O Senado dos EUA deu luz verde aos orçamentos do país para 2016 e 2017, aprovados na quarta-feira pela Câmara dos Representantes, pondo fim a um cinco anos de constantes confrontos entre republicanos e a Casa Branca.

© Jonathan Ernst / Reuters

Numa votação decorrida ao início da madrugada e por 63 votos a favor e 34 contra, o Senado norte-americano 'carimbou' as contas previamente acordadas pelos líderes do Congresso e a Administração de Barack Obama, as quais elevam o teto da dívida até 2017.

A maioria republicana do Congresso dos EUA e a Casa Branca anunciaram na segunda-feira ter alcançado um acordo, num raro compromisso em matéria orçamental que visava eliminar o risco de incumprimento no período que resta à presidência de Barack Obama.

O texto define os orçamentos para os anos fiscais 2016 e 2017 e autoriza o Tesouro a continuar a contrair empréstimos no mercado até 15 de março de 2017, assegurando, portanto, que Barack Obama não terá de gerir mais crises orçamentais até à sua saída da Presidência, em janeiro desse ano.

O Tesouro tinha fixado 03 de novembro como prazo máximo para o Congresso votar um aumento do limite legal da dívida federal, um montante em dólares revisto regularmente em alta pelo Congresso.

Sem esta votação, Washington arriscava acabar em 'default' (incumprimento).

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.