sicnot

Perfil

Economia

Representantes dos trabalhadores da Cimpor contestam despedimento coletivo

Os representantes dos trabalhadores da Cimpor consideram insuficiente a informação fornecida pela empresa para sustentar o despedimento coletivo em curso e vão comparecer à reunião de hoje determinados a opor-se ao mesmo, alegando ilicitude.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

"A empresa mandou-nos alguma informação, mas pouco aprofundada, vamos salientar isso na reunião de hoje e, mesmo sem o resto da informação vamos opor-nos ao despedimento", disse à agência Lusa Fátima Messias, da Comissão de Trabalhadores (CT) da Cimpor.

A CT da Cimpor reuniu-se na semana passada com representantes da empresa para discutir o despedimento coletivo, mas o encontro foi inconclusivo, devido à falta de informação.

"Só faremos o nosso parecer formal quando tivermos toda a informação, mas faremos tudo para impedir que o despedimento coletivo se concretize", disse Fátima Messias.

Tendo em conta a informação de que dispõe, a CT considera que "a empresa não está pior" e, por isso, "o despedimento é ilícito.

A CT da Cimpor representa 13 dos 25 trabalhadores alvo de despedimento coletivo, dado que só esses pertencem à Cimpor Indústria.

Os restantes trabalham em empresas do grupo, mais pequenas, que não têm comissões de trabalhadores.

A cimenteira Cimpor iniciou há duas semanas um processo de reestruturação que afetará 1% dos seus trabalhadores, avançando em Portugal com um despedimento coletivo de 25 funcionários, quase todos quadros superiores.

A empresa justificou este despedimento com a "desaceleração económica sentida em geografias chave para a atividade".

O despedimento coletivo terá efeitos no início de 2016 dado que a lei impõe 75 dias de aviso prévio.

A Cimpor está presente em oito países de três continentes e conta com cerca de 9.000 trabalhadores.

Lusa

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.