sicnot

Perfil

Economia

Quatro bancos gregos precisam de 14,4 mil M€ para tapar buraco

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou hoje que os quatro maiores bancos gregos precisarão de 14,4 mil milhões de euros se a economia enfrentar os piores cenários.

© Christian Hartmann / Reuters

O BCE, que divulgou hoje os testes de solidez da banca grega, refere que, no que concerne aos quatro bancos - Alpha Bank, Eurobank, NBG e Piraeus Bank -, as administrações deverão submeter um plano até 6 de novembro explicando como tencionam preencher o 'buraco' de capital.

Os testes à saúde financeira dos bancos gregos, conhecida como uma "avaliação global", realizada pelo departamento de supervisão bancária do BCE, identificou uma falta de capital de 4,4 mil milhões de euros no âmbito de um cenário de referência e 14,4 mil milhões de euros num cenário adverso, disse a instituição europeia em comunicado.

O exame aos bancos gregos, também denominados 'stress tests', compreende uma avaliação da qualidade dos ativos e um teste prospetivo destinado a avaliar "as necessidades de recapitalização específicas dos bancos individuais" sob programa de ajustamento económico atual da Grécia, indica o comunicado.

"No geral, o 'stress test' identificou uma carência de capital nos quatro bancos analisados de 4,4 mil milhões de euros ao abrigo do cenário de referência e 14,4 mil milhões de euros no âmbito do cenário adverso", sublinhou o BCE.

"Os quatro bancos terão de apresentar planos de capital que expliquem a forma como pretendem cobrir seus défices até 6 de novembro", adiantou.

O BCE reforçou ainda que, após o teste à solidez da banca grega, se "irá iniciar um processo de recapitalização ao abrigo do programa de ajustamento económico que terá de ser concluído antes do final do ano".

Para fazer face ao 'buraco', o BCE disse que terá de haver a entrada de dinheiro fresco, através de um aumento de capital de forma a "criar 'buffers' prudenciais (ativos que permitam ao banco pagar as suas responsabilidades em casos extremos) nos quatro bancos gregos, que irão melhorar a resiliência dos seus balanços e sua capacidade de resistir a potencial choque macroeconómico adverso", acrescentou o BCE.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.