sicnot

Perfil

Economia

BCP apresenta resultados do terceiro trimestre

O Millennium BCP apresenta hoje os seus resultados do terceiro trimestre de 2015.

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

Graças à reestruturação em curso, no que toca à atividade doméstica, os custos operacionais em Portugal caíram mais de 8% para 475,2 milhões de euros. (Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

No final do primeiro semestre deste ano o banco liderado por Nuno Amado apresentou um lucro de 240,7 milhões de euros, um valor que compara com o prejuízo de 62,2 milhões de euros apurado em igual período do ano passado.

O crescimento acentuado da margem financeira (26,6%) e a redução dos custos operacionais (-3,7%) estão na base da melhoria do resultado líquido do BCP.

Esta semana, numa conferência no Porto o presidente do banco, Nuno Amado, destacou a importância da manter bancos privados portugueses a operar no país e considerou que a banca está hoje "melhor preparada em 'governance', em princípios e em capital".

Em relação ao BCP, Nuno Amado disse que o banco está "a fazer caminho no sentido certo da credibilidade", encontrando-se "a trabalhar ao nível de 'governance', das funções e processos e ao nível dos objetivos", que hoje passam por garantir a "confiança" dos clientes, satisfazendo as suas "necessidades de poupança" e de financiamento, e por assegurar o financiamento da economia portuguesa "nos setores produtivos".

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.