sicnot

Perfil

Economia

Inspetores da ASAE em greve

Os inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) realizam hoje uma greve de 24 horas e uma concentração no Porto, para protestarem contra as condições de trabalho e exigirem um estatuto profissional.

(Arquivo)

(Arquivo)

A greve e a concentração, marcadas pela Associação Sindical dos Funcionários da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASF-ASAE), realizam-se por ocasião das comemorações do 10.º aniversário da ASAE, que se assinalam hoje no Porto.

O presidente da ASF-ASAE, Albuquerque do Amaral, disse à agência Lusa que os protestos têm como objetivo manifestar "a indignação e revolta" em relação ao modo como a tutela tem "negligenciado a situação dos inspetores da ASAE, ao negar-lhes reiteradamente um estatuto de carreira profissional".

"Queremos tornar público que um organismo, que tem especificidades e responsabilidade tão grande perante a população e o povo português, trata tão mal os seus funcionários", adiantou Albuquerque do Amaral, realçando que os inspetores reclamam um estatuto profissional desde 2006 e que o Governo anterior criou "falsas expectativas".

O presidente do sindicato afirmou que a ASAE é o único órgão de polícia criminal que não possui um estatuto profissional, considerando o documento "importantíssimo para os inspetores", que deve contemplar os mecanismos de entrada, progressão na carreira, seguro de vida, aposentação, concursos e avaliação.

"A forma como são avaliados é uma situação anormal. Como é que um órgão de polícia criminal tem o mesmo sistema de avaliação que qualquer serviço que tem uma função administrativa?", questionou.

Albuquerque do Amaral alertou também para a falta de meios técnicos e humanos na ASAE, considerando que o corpo inspetivo é insuficiente para as necessidades do país, além de já não existirem inspetores especializados na área alimentar, contrafação, qualidade de produtos e direitos de autor.

Segundo o sindicato, a ASAE tem atualmente 230 inspetores para todo o país, tendo perdido 41 nos últimos quatro anos, significando menos 20 brigadas.

Esta diminuição de meios humanos, sustentou o presidente ASF-ASAE, faz com que muitos agentes económicos deixem de ser fiscalizados.

Quanto aos meios técnicos, Albuquerque do Amaral apontou uma frota automóvel degradada e falta de computadores e impressoras.

"Não há computadores para todos os funcionários. Há inspetores a trabalhar com químico e tem de utilizá-lo nos processos em que tem de se dar um duplicado ao arguido ou à pessoa que é inspecionada", afirmou.

A concentração vai realizar-se entre as 10:00 às 13:00, junto à Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto, e a greve decorre das 00:00 às 24:00.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.