sicnot

Perfil

Economia

Pharol aprova compra e venda de ações próprias

Os acionistas da Pharol SGPS (antiga PT SGPS) aprovaram hoje, em assembleia-geral, a compra e venda de ações próprias, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e entretanto divulgado.

Pharol

De acordo com a informação enviada ao regulador do mercado, a Pharol indica que a reunião magna aprovou a "aquisição e alienação de ações próprias, nos termos da proposta do conselho de administração datada de 6 de outubro de 2015".

Os acionistas da Pharol reuniram-se hoje, em Lisboa, para deliberar a compra e venda de ações próprias, um mês depois de a empresa ter anunciado que tinha avançado com uma ação judicial contra antigos administradores.

A reunião magna visava deliberar a compra e venda de ações próprias, que prevê a aquisição até 7,7% dos títulos da Pharol SGPS, acionista de referência da operadora brasileira Oi, com 27,18%.

Foi também ratificada "a cooptação dos administradores Maria do Rosário Pinto-Correia e André Cardoso de Meneses Navarro para completar o mandato em curso, correspondente ao triénio 2015/2017".

Na assembleia-geral estiveram presentes ou representados acionistas detentores de 47,4% do capital social.

Esta assembleia-geral aconteceu um mês depois de a Pharol ter anunciado que tinha dado entrada no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa a primeira ação de responsabilidade contra os ex-administradores Henrique Granadeiro, Pacheco de Melo e Amílcar Pires devido aos investimentos de 897 milhões de euros na Rioforte, do Grupo Espírito Santo (GES).

Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51