sicnot

Perfil

Economia

Bancos portugueses não constam na lista dos que vão responder a testes de 'stress' em 2016

O Banco Central Europeu (BCE) publicou hoje uma lista de 39 bancos de 10 países da zona euro que vão responder a testes de 'stress' conduzidos pela instituição em 2016, na qual Portugal não consta.

© Kai Pfaffenbach / Reuters

De acordo com o BCE, a amostra proposta cobre 70% dos ativos do setor bancário na área do euro.

Os testes serão realizados pela Autoridade Bancária Europeia (EBA), que coordenará a operação a um conjunto de 53 bancos da União Europeia, em cooperação com as autoridades nacionais e o BCE.

A operação, de acordo com o BCE, irá ajudar a perceber o nível de resiliência das instituições, "nomeadamente a sua capacidade para absorver choques e responder às necessidades de capital em condições macroeconómicas adversas".

Da lista de bancos, constam, entre outros, o Deutsche Bank e o Commerzbank, na Alemanha, o Banco Santander, o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, o Banco Popular Espanhol e o Banco Sabadell, em Espanha, o BNP Paribas e o Crédit Agricole, em França, e o Banco Nacional da Grécia.

No Reino Unido, os testes serão aplicados no HSBC Holdings, no Barclays, no The Royal Bank of Scotland Group e no Lloyds Banking Group.

Os resultados desta operação serão conhecidos no final de fevereiro de 2016.

O BCE poderá ainda conduzir, em paralelo com esta operação, outros testes de 'stress' a instituições que não constam da lista divulgada.

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.