sicnot

Perfil

Economia

FMI diz que banqueiros devem ser responsabilizados pelos seus atos

Os banqueiros devem "ser responsabilizados" pelos seus atos em caso de má administração e não devem escapar a sanções judiciais pagando multas, defendeu hoje a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde.

© Umit Bektas / Reuters

"Precisamos de uma cultura de responsabilização dos indivíduos pelos seus atos, bons ou maus", declarou a dirigente num seminário organizado pela Reserva Federal (Fed) de Nova Iorque.

Segundo Lagarde, a responsabilidade "civil e penal" dos banqueiros deve poder ser individual para os "dissuadir" de adotar comportamentos contrários à ética e à lei e de assumir riscos financeiros irrefletidos.

Para a diretora-geral do FMI, o atual sistema que permite aos bancos e aos seus quadros evitarem ser processados mostrou os seus limites.

Grandes bancos envolvidos em escândalos nos últimos anos conseguiram acordos com as autoridades dos Estados Unidos pagando multas avultadas para evitar os tribunais.

Lagarde explicou que não quer que assumir riscos financeiros seja condenado, mas permitir que se ponha fim ao "clima de irresponsabilidade" que reina no setor financeiro.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.