sicnot

Perfil

Economia

Bolsa de Lisboa cai 3% a meio da sessão

Ao início da tarde, a Bolsa de Lisboa perdia 3%, liderando as quedas entre as praças europeias. Analistas atribuem a queda no valor das ações à situação política que o país vive.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters (Arquivo)

Também os juros soberanos agravaram 20 pontos base para máximos de quatro meses. As Obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos seguem nos 2,88%, face aos 2,675% no fecho de sexta-feira.

"É um movimento que já estávamos a antecipar, tendo em contaa instabilidade poltica que estamos a viver, com as moções de censura, a queda do Governo e um novo Executivo de esquerda", disse João Lampreia, analista do Banco BiG, à Reuters.

O Governo de centro-direita inicia hoje o debate do seu programa no Parlamento, mas a maioria de esquerda deverá derrubá-lo amanhã, após o Partido Socialista (PS) ter garantido o apoio dos partidos à sua esquerda a um Governo do PS.

"Os investidores estão finalmente a incorporar isto no preço no mercado, pois é um cenário que agora se torna concreto", referiu Lampreia.

Com Reuters

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.