sicnot

Perfil

Economia

OCDE prevê abrandamento da economia mundial

A economia mundial vai crescer menos de 3% em 2015, o pior resultado dos últimos anos. As previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para a economia mundial são sombrias. A OCDE prevê abrandamento da economia mundial, dado que o normal seria crescer 4%.

O relatório foi preparado pelo departamento de Estudos Económicos Nacionais, liderado pelo ex-ministro Álvaro Santos Pereira, na foto na apresentação das previsões da OCDE hoje, em Paris

O relatório foi preparado pelo departamento de Estudos Económicos Nacionais, liderado pelo ex-ministro Álvaro Santos Pereira, na foto na apresentação das previsões da OCDE hoje, em Paris

José G. Ferreira/ SIC

Em relação a Portugal, a organização liderada por Angel Gurría aponta o dedo ao abrandamento da consolidação orçamental, à despesa maior que o esperado e receia que as receitas fiquem aquém do previsto.

A OCDE deixou um aviso aos atores políticos de Portugal, alertando que "a instabilidade política pode abrandar as reformas, o que vai pesar nas perspetivas de crescimento de médio prazo".

No "Economic Outlook" hoje divulgado, a organização refere-se aos riscos que a economia portuguesa enfrenta, além dos políticos.

A nível global, a OCDE espera que um crescimento global de 2,9% este ano, contra 3% anteriormente esperados, e 3,3 % no próximo ano, contra os 3,6% estimados anteriormente. Em 2017, espera-se acelerar ligeiramente para 3,6%, de acordo com o primeiro resultado para este ano entregue pela organização.

"O crescimento global robusto e o comércio andam de mãos dadas ", escreveu a economista-chefe da OCDE, Catherine Mann, na introdução do relatório, e acrescenta também que "parecem ter estagnado e até mesmo diminuído desde o final de 2014. Facto profundamente preocupante".

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.