sicnot

Perfil

Economia

Preços sobem 0,6% em outubro face ao período homólogo

A taxa de inflação em outubro, medida pelo Índice de Preços no Consumidor (IPC), registou uma variação de 0,6% face ao mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

REUTERS

A variação homóloga dos preços em outubro foi inferior em 0,3 pontos percentuais à registada em setembro.

Desde março que a variação homóloga dos preços em Portugal voltou a registar subidas, depois de um longo período em que os preços, em termos homólogos, registavam variações nulas ou negativas, em linha com os dados da inflação a nível europeu.

Desde março que a variação homóloga dos preços em Portugal voltou a registar subidas, depois de um longo período em que os preços, em termos homólogos, registavam variações nulas ou negativas, em linha com os dados da inflação a nível europeu.

A variação mensal do IPC foi 0,1% (0,8% em setembro e 0,3% em outubro de 2014), enquanto a variação média dos últimos doze meses situou-se em 0,4% (0,3% no mês anterior).

Excluindo a energia e os bens alimentares não transformados (inflação subjacente), a inflação apresentou em outubro uma subida homóloga de 0,9%, que compara com os 1,1% do mês anterior.

Já o índice relativo aos produtos alimentares não transformados desacelerou em outubro, passando de uma variação homóloga de 3,7% em setembro para 2,3%.

Entre as classes com contribuições positivas para a variação homóloga dos preços salientam-se as dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, das bebidas alcoólicas e tabaco, das comunicações e dos bens e serviços diversos.

A classe com maior contribuição negativa para a variação homóloga do IPC, por sua vez, foi a dos transportes, com uma variação homóloga de -0,9% (-1,1% no mês anterior), seguida do vestuário e calçado, com uma taxa de -0,9%.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou em outubro uma variação homóloga de 0,7%, inferior em 0,2 pontos percentuais à verificada no mês anterior e superior em 0,7 pontos percentuais à taxa estimada pelo Eurostat para os países do euro (diferença inferior em 0,3 p.p. à registada em setembro).

A taxa de variação mensal do IHPC situou-se, por sua vez, em -0,2% em outubro (0,7% no mês anterior e 0,0% em outubro de 2014) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,4% (igual ao registado em setembro).

Lusa

  • Centro comercial em Manchester evacuado

    Mundo

    Um centro comercial foi evacuado esta manhã, no centro de Manchester. Testemunhas dizem ter ouvido um "grande estrondo". O incidente acontece horas depois do ataque na Manchester Arena, no final da atuação da cantora Ariana Grande, no qual morreram pelo menos 22 pessoas. O espaço comercial em Manchester foi entretanto reaberto. A polícia começou a retirar o cordão de segurança, pouco tempo depois de ser dado o alerta. Uma pessoa foi detida.

  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.