sicnot

Perfil

Economia

Fidelização motiva quase metade das reclamações de telecomunicações à Deco

Das 42.530 reclamações sobre telecomunicações enviadas este ano à associação de consumidores Deco, quase metade (17.996) foi por causa da fidelização de 24 meses imposta pelas operadoras, um prazo que os deputados vão debater hoje em reunião plenária.

(Arquivo)

(Arquivo)

O debate é motivado por uma petição, assinada por quase 158 mil consumidores, que pede a alteração da lei, reduzindo o período atual de 24 meses de fidelização e o estabelecimento do critério de cálculo da penalização a pagar pelo consumidor quando desrespeita o período de fidelização.

"Nada está regulamentado. Na prática, não há qualquer proteção do consumidor no que diz respeito à fidelização e a lei atual permite [às operadoras] cobrar o que se quiser" como penalização, afirmou o coordenador do Departamento de Estudos e Apoio ao Consumidor da Deco, Paulo Fonseca, à Lusa.

Na petição, a Deco pede uma redução do período de fidelização de 24 meses, mas sem definir ou sugerir um novo período, porque a associação defende que esse prazo deve resultar de um trabalho do setor das telecomunicações, com associações de consumidores e o regulador (ANACOM).

"O que pedimos é a criação de uma norma que defina os critérios da determinação dos encargos a suportar, caso o consumidor rescinda o contrato antes de cumprido o prazo de fidelização", precisou o jurista, adiantando que a Deco pede ainda aos deputados critérios de determinação dos encargos "razoáveis e proporcionais".

A associação considera que cobrar valores de penalização elevados é um entrave à mudança de operador de telecomunicações, mas lembra que no resto da Europa a fidelização também é exigida aos consumidores, baseando-se na transposição de uma diretiva comunitária que estabelece que os Estados-membros não podem permitir que seja cobrado ao consumidor um período de fidelização superior a 24 meses, dando aos países a liberdade de escolha do período.

"Há países, como o Reino Unido, que diminuiu o período de fidelização para 12 meses. Outros, como a Dinamarca, que têm um prazo de seis meses mas com uma penalização superior. Portugal colou-se ao período máximo permitido, de 24 meses", explicou.

A Deco não é contra o período de fidelização: "Percebemos que os preços são mais baratos porque há uma expectativa de ir amortizando os equipamentos. Mas achamos que 24 meses vai para além da amortização expectável e consiste num enriquecimento sem causa dos operadores", conclui Paulo Fonseca.

Lusa

  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho.