sicnot

Perfil

Economia

Dívida pública volta a subir para 130,6% do PIB em setembro

​A dívida das administrações públicas voltou a subir, passando para os 130,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em setembro, acima do pico registado no final de 2014, de 130,2%, segundo o Banco de Portugal.

(SIC/ Arquivo)

De acordo com o boletim estatístico hoje divulgado pelo Banco de Portugal, a dívida das administrações públicas, na ótica de Maastricht (a que conta para Bruxelas), atingiu os 231.952 milhões de euros em setembro deste ano, o equivalente a 130,6% do PIB.

Em junho, a dívida pública tinha ficado nos 225.456 milhões de euros (128,7% do PIB) e, em dezembro de 2014, tinha sido de 225.767 milhões de euros (130,2%).

Considerando a dívida líquida de depósitos da administração central, verifica-se que, em setembro, foi de 212.121 milhões de euros, ou 119,4% do PIB.

No final do segundo trimestre, a dívida excluída dos depósitos da administração central era de 210.737 milhões de euros (120% do PIB) e, em dezembro do ano passado, a dívida líquida destes depósitos era inferior, de 208.196 milhões de euros, embora o rácio face ao PIB se tenha mantido nos 120%.

No programa do Governo, o executivo demissionário tinha identificado como objetivo reduzir a dívida pública dos 130,2% registados no final de 2014 para os 125,2% no final deste ano, uma projeção mais otimista do que as dos credores internacionais.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que Portugal chegue ao final de 2015 com uma dívida pública de 127,8% do PIB, uma projeção mais otimista do que a da Comissão Europeia, que antecipa que a dívida pública de Portugal caia para os 128,2% no final deste ano.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras