sicnot

Perfil

Economia

CGD, BCP e BPI passam nos exercícios de transparência do regulador europeu

Os bancos portugueses CGD, BCP e BPI passaram nos exercícios de transparência da Autoridade Bancária Europeia divulgados esta terça-feira, ainda que com rácios de capital abaixo da média europeia.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Hugo Correia / Reuters

Estes exercícios da Autoridade Bancária Europeia (EBA na sigla inglês) abrangeram 105 bancos de 21 países europeus e avaliaram o balanço de cada um com base nos dados disponíveis, tendo o regulador bancário verificado que os bancos têm vindo a "fortalecer" as suas posições de capital.

Tendo em conta os dados de final de junho deste ano, no total, os três bancos portugueses analisados apresentaram em média um rácio de capital 'fully loaded' CET 1 de 9,3%, CET1 (Common Equity Tier 1) de 11,6%, 'Tier 1' de 11,7%, sendo o total de 12,8%.

Segundo a EBA, os bancos tinham de apresentar mínimos de 8% no rácio de capital total, 6% no Tier 1 e 4,5% no CET1, pelo que todos os bancos europeus analisados passaram no teste.

Quanto aos três bancos portugueses analisados, os valores dos rácios de solvabilidade -- que indicam a capacidade de uma instituição financeira fazer face a um período de instabilidade -- ficaram abaixo da média dos bancos europeus.

Na média dos 105 bancos, o agregado do rácio de capital CET foi de 12,8%, o Tier 14.0% e o total de 16,7%. Já o rácio 'fully loaded CET1' - sem os ajustamentos de transição - foi de 11,8%.

Os exercícios de transparência são levados a cabo pela EBA todos os anos, sendo distintos dos mais conhecidos testes de stresse.

Enquanto os exercícios de transparência avaliam o banco com base nos dados atualizados do seu balanço, os testes de resistência sujeitam esse balanço a choques negativos (como queda da economia ou aumento do desemprego), para avaliar a resiliência de um banco numa situação de crise e fazem também projeções para os próximos anos.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.