sicnot

Perfil

Economia

DECO diz que Volkswagen trata consumidores europeus e americanos de maneira diferente

A DECO acusou esta terça-feira a Volkswagen de promover um tratamento desigual entre os consumidores americanos e europeus e queixou-se da falta de resposta das autoridades públicas.

© Ina Fassbender / Reuters

Segundo o jurista da DECO Luís Pisco, a subsidiária americana do grupo Volkswagen está a tomar medidas adicionais para ressarcir os clientes afetados pela fraude das emissões de dióxido de carbono, oferecendo vales para gastar em serviços da marca, o que não acontece na Europa.

A DECO lamentou, por outro lado, que continue a haver muitas questões por responder nomeadamente, como é que os consumidores irão ser compensados pelos seus danos, quando é que se vai iniciar o processo de recolha dos veículos e por quanto tempo durará o processo.

"Os consumidores, em Portugal, continuam apreensivos relativamente aos efeitos fiscais que este processo de recolha terá, no futuro, sobre os seus carros", vincou a associação de consumidores num comunicado.

A DECO disponibilizou um formulário 'online' destinado aos proprietários dos veículos afetados no qual já se registaram cerca de 4.500 consumidores, que poderão ir acompanhando o desenvolvimento dos seus casos.

O objetivo é "precaver junto do fabricante" que todos os consumidores terão o mesmo tratamento, independentemente de cada situação particular (terem adquirido o carro na marca, estar na garantia, etc.).

Num encontro com jornalistas em novembro, o secretário de Estado do Ambiente considerou que os efeitos da fraude da Volkswagen são menores em Portugal do que noutros países europeus porque os 125.491 veículos afetados representam 4,8% do total de ligeiros a diesel e 2,8% da frota nacional.

Segundo o relatório preliminar que foi apresentado também pela secretária de Estado da Economia, Vera Rodrigues, existem em Portugal 102.140 veículos afetados das marcas Volkswagen, Audi e Skoda e mais 23.351 da marca Seat.

No total, são 125.491 os veículos com dispositivos que manipulam os dados relativos à emissão de gases poluentes.

O grupo de trabalho estima, no seu relatório preliminar, que esta situação provoca um agravamento das emissões nacionais de óxidos de azoto de cerca de 1,7%, relativamente a 2013.

O Governo reafirmou, na mesma altura, que acionará todos os meios legais e operacionais para recuperar junto do grupo Volkswagen a receita fiscal que possa estar em falta em resultado da adulteração das emissões poluentes.

Lusa

  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.