sicnot

Perfil

Economia

Mais atentados na Europa podem atrasar recuperação económica da zona euro, avisa BCE

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vitor Constâncio, advertiu hoje que "mais episódios de terrorismo na Europa afetarão a confiança, aumentarão a aversão ao risco em ativos europeus e poderão afetar a recuperação económica da zona euro".

Reuters

Vítor Constâncio, que falava na apresentação do relatório semestral de estabilidade financeira do BCE, no qual a entidade analisa os principais riscos para o sistema, disse que "não se pode ignorar este risco" e que, atualmente, os riscos para a economia real estão em baixa.

"O que aconteceu afetará particularmente o consumo temporariamente nos países mais atingidos pelos atentados, mas o que assistimos noutros casos como no dos atentados contra o (jornal francês) Charlie Hebdo é que o consumo se reduziu temporariamente, mas meses depois corrigiu-se totalmente", afirmou Constâncio.

"De momento, o impacto é limitado, mas mais casos mudarão a situação", adiantou o vice-presidente do BCE.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras