sicnot

Perfil

Economia

Lloyds Bank vai eliminar 945 postos de trabalho no Reino Unido

O Lloyds Banking Group, liderado pelo gestor português António Horta Osório, vai reduzir o seu quadro de pessoal em 945 trabalhadores no Reino Unido, anunciou hoje em comunicado o banco britânico.

(Arquivo)

(Arquivo)

Matt Dunham / AP

Estes cortes fazem parte do plano de eliminação de cerca de 9.000 postos de trabalho até 2017, que foi anunciado no ano passado, e vão afetar a rede de agências, a divisão de crédito ao consumo, de gestão do risco e de recursos humanos.

"O Lloyds Banking Group está comprometido em levar a cabo estas mudanças de uma forma cuidadosa e sensível", garantiu a entidade.

Ao longo dos últimos anos, Horta Osório tem vindo a cortar os custos de um dos principais bancos do Reino Unido, através da redução da rede de agências e da venda de ativos, de forma a ajudar a impulsionar a rentabilidade da instituição e voltar a distribuir dividendos aos acionistas, enquanto o Governo britânico vende a sua participação no banco.

Outras instituições financeiras britânicas, como o Royal Bank of Scotland, também estão a reduzir o número de agências de forma a acompanhar a cada vez maior utilização dos serviços oferecidos pelos canais 'online' dos bancos por parte dos clientes.

Lusa

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.