sicnot

Perfil

Economia

Lloyds Bank vai eliminar 945 postos de trabalho no Reino Unido

O Lloyds Banking Group, liderado pelo gestor português António Horta Osório, vai reduzir o seu quadro de pessoal em 945 trabalhadores no Reino Unido, anunciou hoje em comunicado o banco britânico.

(Arquivo)

(Arquivo)

Matt Dunham / AP

Estes cortes fazem parte do plano de eliminação de cerca de 9.000 postos de trabalho até 2017, que foi anunciado no ano passado, e vão afetar a rede de agências, a divisão de crédito ao consumo, de gestão do risco e de recursos humanos.

"O Lloyds Banking Group está comprometido em levar a cabo estas mudanças de uma forma cuidadosa e sensível", garantiu a entidade.

Ao longo dos últimos anos, Horta Osório tem vindo a cortar os custos de um dos principais bancos do Reino Unido, através da redução da rede de agências e da venda de ativos, de forma a ajudar a impulsionar a rentabilidade da instituição e voltar a distribuir dividendos aos acionistas, enquanto o Governo britânico vende a sua participação no banco.

Outras instituições financeiras britânicas, como o Royal Bank of Scotland, também estão a reduzir o número de agências de forma a acompanhar a cada vez maior utilização dos serviços oferecidos pelos canais 'online' dos bancos por parte dos clientes.

Lusa

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00

    País

    O episódio de hoje de Vidas Suspensas envolve uma médica dentista norte-americana e um empresário português. Um exemplo do que acontece a muitos portugueses que casam com estrangeiros: quando se divorciam, coloca-se a questão de saber para que país vão os filhos.

    Hoje na SIC

  • "Não era o jogo ideal para estreia do videoárbitro"
    4:50
  • Uma em cada dez crianças já foi vítima de cyberbullying
    10:41
  • "Sou Presidente de uma pátria com os melhores bombeiros do mundo"
    1:20

    País

    O Presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares, avisou este domingo o Governo de que os bombeiros admitem usar o machado da paz para fazer a guerra. Marcelo Rebelo de Sousa destacou o orgulho que sente em ser "Presidente de uma pátria que tem os melhores bombeiros do mundo".